JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 30 de outubro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ExpoZebu volta a ser a grande festa da cidade de Uberaba

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WatsApp: 34 99777-7900

Última atualização: 03/05/2018 - 07:33:59.


Foto/ Divulgação

Competente jurista uberabense Lúcio Delfino tem sido um dos mais requisitados para palestras pelo Brasil afora e agora estará presente também como conferencista em Portugal, no evento denominado “Diálogos Brasil Portugal”, no mês que vem. Lúcio é pós-doutor em Direito, sendo um dos expoentes do garantismo processual no país.

Festa para Uberaba
ExpoZebu voltou a ser a grande festa de Uberaba, e não apenas da ABCZ. Quem passou pelo Parque Fernando Costa no feriadão certamente percebeu a grande movimentação de público por lá, não apenas nos shows, como também no “footing”. De sábado até o feriado de terça-feira passaram por lá 115.163 pessoas, deixando claro que não há razão para dissociar a comunidade da maior festa da pecuária nacional, como ocorreu em edições anteriores da ExpoZebu. Por mais que se diga que os animais ficam estressados com tanta visita, o que se viu foram zebuínos e equinos felizes com os afagos recebidos. Nenhum sinal de agressividade dos animais, muito menos dos seus tratadores ou proprietários. Pelo contrário. Por isso, é inegável o acerto da decisão da atual diretoria da ABCZ de voltar a abrir os portões do Parque para receber as famílias de todos os segmentos sociais para participar do maior evento do calendário festivo da cidade.

Ponto alto
Para os criadores, o ponto alto da ExpoZebu são os leilões. Neste ano, os remates estão faturando alto e podem bater os números do ano passado. Para se ter uma ideia, até o dia 1º os leilões somaram mais de R$ 24 milhões, incluindo os remates de cavalos, que respondem até agora por R$ 2,2 milhões em vendas de equinos, com destaque para a raça quarto de milha.

Novidade aprovada
Um dos grandes acertos da ABCZ nessa edição da ExpoZebu foi a realização da feira de gastronomia, no pavilhão multiuso, reunindo produtores de queijo e seus derivados, quitandas, temperos, carnes, assim como artesanato. No feriado, deu o maior ibope o workshop da Zebu Carnes com explicações ao público sobre escolha dos cortes e preparo de churrasco. No domingo, um mestre queijeiro ensinou técnicas de produção e corte de cada tipo de queijo. Foi sensacional! Merece bis.

Bom exemplo
Palmas para as revendas de veículos com estande na ExpoZebu. Todas elas tiveram o cuidado de expor os seus veículos preservando as árvores plantadas recentemente no Parque Fernando Costa e ainda em fase de desenvolvimento.

Vez da moçada
O 3º Encontro Rural Jovem marca a programação de hoje na ExpoZebu. O evento é pilotado pela nova geração de criadores de zebu, tendo à frente o arrojado Rivaldo Machado Borges Neto. Dentre os palestrantes estarão o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues, o CEO do Beef Point, Miguel Cavalcanti, e Teresa Cristina Vendramini, diretora da Sociedade Rural Brasileira. O Encontro Rural será realizado das 9h ao meio dia, no Centro de Eventos da ABCZ.

Polêmica de volta
Incêndio em prédio tombado pelo Patrimônio Histórico em São Paulo reacendeu a polêmica sobre tombamento de imóveis particulares em Uberaba. Fábio Lopes, presidente da Associação Centro Forte, defende a revisão do plano diretor para a área central da cidade, antes que tragédias semelhantes à da capital paulista se repitam aqui. Fábio lembra que há interesses em conflito nessa questão, pois de um lado estão protetores do patrimônio, e, de outro, proprietários de imóveis que se veem às voltas com as amarras impostas pelo tombamento, como inviabilização de venda e locação, e dificuldades para reforma nos prédios. Daí a necessidade de revisão do plano diretor.

O que mudar
Dentre as sugestões de mudança no Plano Diretor o presidente do Centro Forte destaca a transferência da responsabilidade pelos custos de conservação dos imóveis tombados por interesse público. Passaria a ser obrigação do Município, e não mais dos proprietários. O Município deveria indenizar os proprietários pela desvalorização do imóvel tombado, ou mesmo comprar esses casarões. Hoje o Município concede apenas um desconto “simbólico” no IPTU.

Centro fantasma
Fábio Lopes avalia, ainda, que o tombamento dos imóveis tem afastado cada vez mais os investimentos da iniciativa privada na área central da cidade, onde se concentra a maior parte dos casarões históricos. Afinal, qual proprietário vai se interessar em investir num imóvel tombado, se não consegue usufruir de renda? Quem vai se interessar em gastar com reforma e manutenção de um prédio nessas condições? Por conta disso, algumas regiões estão se transformando em “áreas fantasmas”, como é o caso do 5º e 6º quarteirões da Artur Machado e trechos das ruas São Benedito e Tristão de Castro. “Devido ao estado de abandono destes casarões, tragédias podem acontecer a qualquer momento, pois todos estão com as fiações precárias, marquises deterioradas, rachaduras diversas...” – alerta Fábio Lopes.

Seletiva
Sabe por que a concorrência do lixo não previu a coleta seletiva no novo edital? Porque ficou a cargo da Secretaria de Meio Ambiente (sempre ela!) a tarefa de fazer o projeto e implementá-lo, com a participação da comunidade. Dizem que já está bem adiantado... tomara que a Semam não apareça apenas com aquelas cartilhas caríssimas, que ninguém lê...

 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

Continua depois da publicidade

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia