JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 17 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Luiz Ciabotti Neto RADAR 12/10/2018

FRASE DE CAMINHÃO

“A diferença entre um credor e um devedor é que o primeiro tem uma memória muito melhor”!


Dicas muito boas para encerar o seu carro

 


Encere o automóvel de forma a proteger a sua pintura. Encerar um automóvel é uma tarefa que exige muito trabalho, contudo, a cera é um material indispensável na proteção da pintura de um carro. A cera permite retardar a oxidação de um veículo e possibilita a formação de uma barreira contra os excrementos dos pássaros e da poluição.

BOM CONSELHO
Evite encerar o carro em dias em que a temperatura ultrapassa os 29 graus ou nos quais fica abaixo de 12. Quando faz muito calor, a cera seca imediatamente após a aplicação. Isso dificulta a etapa seguinte, que é a de dar brilho. Além disso, fica mais complicado remover a cera. Por outro lado, se está fazendo muito frio, a cera fica mais difícil de ser trabalhada e espalhada.

SEM APERTAR
Usando um movimento circular suave (ou seja, sem apertar demais), aplique a cera uniformemente sobre uma parte do carro. Vá passando mais cera conforme o necessário. Deixe a cera agir por alguns minutos conforme as instruções do fabricante. Após ter encerado e lustrado, espere pelo tempo indicado na embalagem. Isso significa que talvez seja preciso encerar e lustrar por partes, fazer uma pausa e só então dar uma última polida.

DICA
Uma boa dica para conferir se a cera está pronta para ser retirada: Passe o dedo no carro. Se a cera ficar lambuzada, é porque ainda não está pronta. Se estiver completamente seca, a ponto do seu dedo não ter deixado marca nenhuma, já é hora de tirar a cera.

Mantenha a calma se ficar preso na lama

Mantenha a calma quando estiver com o veículo preso. Quando o condutor está preso com o seu carro na lama, o ideal será manter a calma e não forçar a parte mecânica do automóvel. Se acelerar em demasia, ou se fizer muitas manobras, o veículo pode afundar-se ainda mais e pode estragar alguma peça do seu automóvel. O ideal, nestas circunstâncias, é balancear suavemente o automóvel de modo a conseguir libertar-se sem qualquer dano.

DICAS

A lama faz com que as rodas de tração do seu carro patinem. Quanto mais você acelera para tentar sair, mais as rodas patinam no sulco aberto na lama, afundando o carro. Então:

1. Tire todo o peso possível do carro, principalmente passageiros. Carro mais leve afunda menos.

2. Tire a lama da frente das rodas, procurando fazer rampas suaves. Use pedras, galhos e folhas para calçar os pneus ou, se tiver à mão, trapos, sacos de estopa ou folhas de jornal.

3. Engate a segunda e tente sair sem acelerar muito. Em primeira marcha você força demais o motor, aprofundando as rodas no atoleiro.

Não exceda o peso máximo de seu carro

Não exceda a capacidade de peso de um veículo. No manual do veículo consta o peso máximo que ele pode carregar. Dessa forma, nunca deve exceder a carga máxima recomendada, pois, assim, todas as peças do automóvel estarão sofrendo um maior desgaste e a sua substituição será inevitável.

CARGA ÚTIL

Quem precisa de um carro com boa capacidade para transportar bagagem costuma atentar apenas para o volume do porta-malas como fator decisivo de compra. Há, porém, um outro quesito que não pode ser esquecido: a carga útil, número que determina o peso máximo que o veículo pode acomodar. Com cinco pessoas a bordo e o compartimento cheio de volumes, não é difícil extrapolar essa determinação, o que pode comprometer a durabilidade do automóvel e a segurança dos ocupantes.

COMO SABER
Para que a prática de carregar o carro não resulte em prejuízos financeiros ou de outra natureza, a entidade recomenda que o motorista esteja sempre ciente do peso transportável e respeite-o. Essa informação é obtida com facilidade, pois está disponível no manual do proprietário. Vale lembrar que cada modelo tem um valor específico, determinado pelo fabricante.

Empresa vai compartilhar patinetes no Brasil

Olha onde está chegando a mobilidade urbana. Nos Estados Unidos a startup californiana Bird fabrica e compartilha patinetes elétricos. Na última semana, a startup apresentou um novo modelo, batizado de Bird Zero, para operar na América Latina, o que inclui planos para o Brasil.

COMO FUNCIONA

Qualquer pessoa com mais de 18 anos, que tenha carteira de motorista válida e cartão de crédito pode alugar um dos patinetes elétricos por US$ 1 dólar (algo como R$ 3,77), em conversão direta, e mais 15 centavos por minuto (aproximadamente R$ 0,94).

Para utilizar esse meio de transporte barato e alternativo os usuários devem fazer download do aplicativo, e depois o upload de uma foto de uma carteira de motorista válida, bem como os dados do cartão de crédito. A partir daí o software mostra na tela as unidades mais próximas para locação.
Depois disso, é só digitalizar o código QR localizado no guidão e iniciar o passeio. Quando a viagem acabar, os patinetes podem ser deixados em qualquer lugar. (Revista Autoesporte)

Tecnologia quer acabar com semáforos

A Ford apresentou no Reino Unido uma nova tecnologia que pode tornar os semáforos coisa do passado. O gerenciamento de prioridade nos cruzamentos (Intersection Priority Management – IPM) usa a comunicação veículo a veículo (V2V) e sugere a velocidade que eles devem seguir para passar nos entroncamentos com segurança sem precisar parar.

O sistema é inspirado na forma como os pedestres negociam seu caminho na multidão, diminuindo ou aumentando a velocidade para evitar esbarrões. A tecnologia foi demonstrada nas ruas de Milton Keynes, no Reino Unido, dentro do programa Autodrive, que conclui esta semana seus dois anos de duração, com um orçamento de 20 milhões de libras para incentivar o desenvolvimento de tecnologias de segurança e eficiência do trânsito.

PURA AUTOMAÇÃO

No teste, os carros foram equipados com sistemas de comunicação V2V que informam sua localização, direção e velocidade. O sistema a bordo identifica um cruzamento próximo e a trajetória dos veículos ao redor. Então, sugere a velocidade ideal de cada veículo para atravessar o cruzamento com segurança.

Os veículos da demonstração foram dirigidos por motoristas, mas a tecnologia poderá ser usada também em veículos autônomos. A automação de como os veículos negociam entre si nos cruzamentos pode trazer, um dia, o fim dos semáforos e sinais de trânsito. Os veículos autônomos atuais operam de forma independente, usando as tecnologias de sensores e mapas a bordo. Com os sistemas de comunicação V2V e veículo-para-tudo (V2X), eles poderão aumentar sua eficiência no futuro. (Ford do Brasil) 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia