JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de abril de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Coronel Antônio

Conflito no trânsito de Uberaba – Proposta para solução

Na condição de leitor deste periódico e observador assíduo do trânsito local, tenho acompanhado as notícias alusivas ao cruzamento da Rua Jaime Bilharinho com Avenida Lucas Borges, sobretudo, as informações sobre os acidentes nele ocorridos, a preocupação manifestada por condutores, pedestres e moradores, bem como a intenção da Prefeitura Municipal de interromper a transposição da via naquele ponto, fechando o cruzamento.

Ao sentir que dentre as várias possibilidades de solução para o problema, a do fechamento tem sido noticiada com maior consistência, gostaria de abordar alguns aspectos e colaborar com o processo decisório. Antes, porém, é importante lembrarmos que os acidentes acontecem por falhas na consagrada tríade “homem, veículo, e via”, ou seja, nem sempre ele determina a necessidade de intervenção por parte do setor de engenharia no leito da via. Na maioria das ocorrências a solução passa pela ação mais efetiva dos setores de educação e esforço legal. Não obstante, o acidente, qualquer que seja a sua origem, representa um fenômeno cujas causas devem ser investigadas e providências adotadas para evitar que o próximo sinistro ocorra. Assim, vejo como positiva a notícia de que a Prefeitura Municipal irá adotar medida saneadora naquele cruzamento, entretanto, creio que a hipótese do fechamento do cruzamento deve ser evitada, pois, simplesmente transferirá o problema de lugar enquanto existem alternativas mais eficientes e palatáveis.

Com o fechamento do cruzamento os veículos que subirem do Centro pela Rua Jaime Bilharinho e desejarem ingressar na Avenida Lucas Borges, sentido Praça Magalhães Pinto, terão como alternativas – e seguramente por comodidade e economia irão buscá-las - a abertura existente no canteiro central nos cruzamentos da Rua Senador Bias Fortes e Rua Doutor Zeferino, o que apenas resultará na transferência do problema e do risco para outro local. Ademais, as aberturas existentes ao longo da via poderão estimular a conversão de retorno muito perigosa, indesejável e que potencializará a incidência de acidentes.

Se para evitar o quadro acima a Prefeitura Municipal optar pelo fechamento de todas as aberturas no canteiro central da Avenida Lucas Borges, ao fluxo oriundo do Centro que se desloca pela Rua Jaime Bilharinho, restarão duas alternativas principais para alcançar a pista da Avenida Lucas Borges sentido Praça Magalhães Pinto, ou seja, o cruzamento com a Rua Vital de Negreiros ou a rotatória no entroncamento com a Avenida Almirante Barroso e Rua Gonçalves Dias. As duas opções são muito ruins. Na primeira temos no cruzamento um semáforo de três tempos, portanto, lento, e que não reagirá bem se receber um fluxo adicional de veículos. Na segunda, a rotatória já apresenta alto grau de saturação nos momentos de pico e não suportará uma carga adicional, portanto, ela entrará em colapso.

Embora toda intervenção no trânsito deva ser precedida de estudos, mesmo sem conhecer os dados técnicos, como por exemplo, a contagem de veículos, sugiro que seja alvo de reflexão a possibilidade de semaforização do cruzamento em análise, instalando-se ali um aparelho de dois tempos, já que a Rua Jaime Bilharinho possui sentido único de deslocamento. Este semáforo operaria com a programação alternando de acordo com a intensidade dos fluxos, podendo permanecer com o amarelo piscando nos momentos de baixa demanda. Além de segurança esta medida resultará em conforto para os usuários da via, melhorará a fluidez e resolverá o problema, não apenas o fará se deslocar de lugar.

Paralelamente, proponho a instalação de uma minirrotatória no cruzamento da Avenida Lucas Borges com a Rua Doutor Zeferino, nos moldes das que existem funcionando com ótimo desempenho nas Avenidas General Osório e Quinze de Novembro, e o fechamento do canteiro central nos demais pontos. Com a adoção destas medidas, de baixo custo, teremos um trânsito mais organizado e seguro naquele ponto da Cidade. Ficam aqui as minhas sugestões.

(*) Pós-graduado em Trânsito pela Universidade Federal de Uberlândia

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia