JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 19 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Marília Andrade Montes Cordeiro

O lixo de todos nós

O descaso secular com o lixo que produzimos anda afogando e atolando nosso planeta. Todos os continentes e seus dignos representantes sabem disso, mas são poucos os que ousam fazer mudanças que possam refletir no todo. O “progresso” não permite. E, assim, continuamos a ver rios destruídos pelos rejeitos históricos de fábricas produtivas que nenhum governo consegue enfrentar. Emissão de toda sorte de gases poluentes.

Dizem que, com um rebanho tão extenso como o do Brasil, até o gado anda poluindo o planeta com seus gases... Cidades que insistem em jogar seus esgotos em rios cada vez mais raquíticos, fruto do desmatamento voraz.

Plantações que sugam do solo recursos hídricos que são vitais para nossa sobrevivência a longo e médio prazos. Políticas erradas implantadas com o aval do sistema político, cujos incautos patriotas acreditaram e que resultaram em destruição de vastos biomas. O lixo sonoro que anda enlouquecendo e desinformando gerações. A emissão diária de nossos próprios descartes, aliada ao desperdício, poderia abastecer e alimentar milhões. Que falta de educação!

Até meu e-mail anda recebendo um excesso de propaganda que num toque mando rapidamente para o lixo. Ando filtrando apenas uns 10%.

Vemos diariamente bilhões sendo gastos em tratamento e recuperação de mananciais que parecem cada vez mais poluídos. Rios como Tietê, São Francisco, Lagoa Rodrigo de Freitas, nos esfregam nos olhos seu suplício diário provocado por mãos criminosas ou ignorantes.

E em nosso país tão tropical? Será tão difícil assim investir em energia mais limpa? Entendo que não somos bons em planejamento a longo prazo, mas passou da hora de usarmos a potência solar que possuímos, investindo em painéis de energia solar.

O lixo é um tema complexo, importante e sempre desprezado. Porém, sempre teve minha atenção, sem falso patrulhamento ideológico.

Não por acaso, durante a primeira gestão de prefeito de meu marido, tivemos o prazer organizar a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Uberaba.

Terminou recentemente a COP 21 – Conferência do Clima – em Paris.

O texto final do encontro aprovou um acordo que obriga os países a adotarem medidas contra o aquecimento global. O objetivo é cortar a poluição a partir de 2020. Um trabalho de muitos que promoveu a primeira legislação internacional com obrigações para todos os países.

Foi a primeira vez que senti certo alento com relação a esse tema. Pessoas empenhadas em buscar soluções e recuperar o que já parece perdido. Tudo indica que uma nova consciência ambiental pode estar a caminho. Acho importante destacar também o quanto temos ingerido de lixo. Em termos alimentares, com toda a certeza, mas também, e principalmente, em termos psicológicos. E isso tem provocado grandes males físicos e espirituais. A questão planetária ainda parece de solução longínqua! Mas é urgente que tenhamos bom ânimo e comecemos nossa reciclagem interna; a cuidar do que colocamos para dentro; a alimentar o corpo e o espírito com materiais saudáveis; a fixar o olhar em boas produções, mas também olhar em ângulos. Há grandes tesouros escondidos em diferentes ângulos! 

(*) Mãe de família

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia