JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de maio de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Paulo Fernando Borges

Funcionário da Caixa pode ter falsificado assinatura de cliente

Leitora do Jornal da Manhã suspeita de que funcionário da Caixa Econômica Federal tenha falsificado sua assinatura em documento oficial do banco, o que, se comprovado, configura crime de estelionato. Gerência da CEF diz que está averiguando o caso.

O caso começou no mês passado, quando a funcionária pública, de 23 anos, que optou por manter sua identificação em sigilo, dirigiu-se até a agência São Benedito da CEF para assinatura de alguns documentos referentes ao financiamento de um apartamento pelo banco. À época, a servidora optou por não adquirir o seguro residencial oferecido pela construtora e pelo banco. No entanto, no início do mês de julho, ela recebeu uma correspondência da CEF a parabenizando pela aquisição do seguro.

Ao procurar o atendimento telefônico do banco e negar que tivesse contratado tal serviço, a leitora ouviu do atendente do banco que o documento autorizando o débito de R$250,35 em sua conta estava assinado pela mesma. Além disto, outro débito, no valor de R$500,10, referente à contratação de um título de capitalização, havia sido registrado em sua conta, sem que a cliente tivesse autorizado. No entanto, o documento referente a essa transação não foi apresentado pelo banco. Os dois débitos, mais tributos, geraram um prejuízo de R$791,33 à funcionária pública.

Procurada pela reportagem, a gerência da agência afirmou que o dinheiro já foi devolvido à cliente. Além disto, o gerente informou que “o caso está sendo apurado e se confirmado que houve a falsificação do nome da dela, os responsáveis sofrerão as medidas cabíveis, inclusive com punições”.

Após registrar o boletim de ocorrência junto à Polícia Militar, a cliente decidiu que irá entrar com uma ação na Justiça, já que a mesma sofreu danos materiais e também morais. “Respeitamos a decisão dela, mas é bom deixar claro que isso nunca havia acontecido. Não é uma política adotada pela CEF”, garantiu o gerente da agência.

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia