JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de maio de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Moura Miranda

GOSTO SE DISCUTE?

         Gosto se discute? Ou não? O ditado garante que não, mas a realidade garante que sim. Gosto se discute sim. E muito. Se não fosse assim, torcer para clubes de futebol não teria a menor graça. Já pensaram quando um time vencer o outro, o seu torcedor ficar sem o direito de zoar um amigo, pois este de forma bem carrancuda iria se limitar a dizer: “fica na sua porque gosto não se discute”. Imaginem só, o Maracanã com 100 mil torcedores em um dia de fla-flu, com todos compenetrados apenas assistindo pacificamente o rolar da bolar, sem nenhum tipo de provocação ou gozação, como se faz nos jogos de tênis? Seria um tédio só. Na maioria dos casos, os ditados ou provérbios como queiram, são apenas jogos de palavras e não possuem nada de real ou verdadeiro. Gosto se discute sim. No futebol, na política, na música, na beleza e em muitas outras ocasiões. Pelo menos é assim que penso e é esta minha opinião. Contrariar um amigo dizendo que o seu time é formado por canelas secas e que aquele jogador que ele acha o máximo é um tremendo perna de pau, é o maior prazer do futebol.
 
TODOS CERTOS
 
         Esta semana dois amigos meus se envolveram em uma discussão totalmente inoportuna e desnecessária. Um foi assistir ao jogo do time do outro, que na verdade é o seu também, e depois afirmou que a partida foi uma autêntica “pelada”, que o time é fraco ou que pelo menos não é tudo aquilo que alguns falam dele. Contrariou a maioria, mas usou o seu direito de livre expressão. Falou o que sentia, ou que queria dizer, e isto deve ser respeitado. O outro não gostou. Muito pressionado pelas dificuldades que teve para montar o time, que vem realizando uma campanha surpreendente, usou o direito de manifestar o seu desagrado com o que o outro falou. Foi veemente no seu protesto. TODOS ERRADOS.
 
Por pouco este pequeno desencontro de opiniões não ganhou proporções maiores. Poderia perfeitamente não ter acontecido. Para isto, bastaria que o primeiro, mesmo não tendo gostado do que viu, reconhecesse os esforços que estão sendo feitos para que o nosso futebol profissional sobreviva, e tente retornar aos dias melhores, que teve em um passado pouco recente. Na verdade, a sua crítica, que realmente foi dura, foi interpretada como a manifestação de mágoa por acontecidos de outra ocasião. Isso, não tenho como afirmar se é verdade ou não. O que posso afirmar é que mesmo tendo se considerado ofendido pelas críticas do primeiro, o segundo exagerou na réplica, acusando este de não entender nada daquilo que ele na verdade entende, mesmo não sendo a sua especialidade no momento. Foi uma discussão inoportuna entre dois amigos, que não precisava ter acontecido, mas como aconteceu, serviu para mostrar que numa situação desta os dois lados podem acertar e errar ao mesmo tempo. Espero vê-los no próximo jogo, torcendo e discutindo o futebol como sempre deve ser discutido, porém com menos veemência e exageros.
 
CBF OMISSA
 
         O futebol tantas vezes campeão do mundo e que revela craques como nenhum outro, não merece ser dirigido pelos homens que o dirigem há muito tempo. São pessoas sem a menor sensibilidade e respeito pelos outros envolvidos com esta paixão. A melhor prova do descaso dos “homens” da CBF para com o futebol brasileiro está na forma como são organizados seus campeonatos, e como são tratados os clubes, dirigentes, atletas, torcedores e outras pessoas que com eles se envolvem. O regulamento do Campeonato Brasileiro da Série D é uma aberração. Em um determinado momento afirma uma coisa, para logo em seguida garantir outra. Este equívoco irá causar prejuízos há muita gente e nem por isto a entidade, presidida por Ricardo Teixeira, se dignou a esclarecer a confusão que ela mesma arrumou. Está de braços cruzados, enquanto dirigentes, torcedores e jornalistas se digladiam defendendo suas interpretações daquilo que deveria ser claro e está muito confuso. Alguém vai se dar mal, pagar caro e gritar que foi vítima de uma injustiça que não merecia. Tudo por causa da omissão da entidade, que deveria ter evitado tantos desgastes, corrigindo rapidamente o erro que cometeu e reluta em admitir.
 
USC FAVORITO
 
         Embora a turma que torce contra, e isto é perfeitamente normal numa cidade de várias torcidas, esteja distribuindo pessimismo e vendo montanhas de dificuldades, eu particularmente acredito que o Uberaba Sport Club é favorito para se classificar na sua chave desta terceira fase da Série D. A convincente vitória contra o bom time do Araguaia, aqui no Uberabão, por dois a zero, lhe dá o direito de ser visto como tal. Não acredito que seja verdadeira a imagem que muitos tentam vender da pequena cidade do Alto Araguaia, no Estado do Mato Grosso, e da fanática torcida do Araguaia. O Colorado encontrará dificuldades lá, mas da mesma forma que encontraria em qualquer outro lugar. O Uberaba tem um time melhor que o adversário, e uma boa vantagem no jogo de 180 minutos. Tenho a certeza que estes fatores irão prevalecer no final. O time do Érick, que não fez gol apenas na partida de estreia contra o Ituano, vai marcar pelo menos uma vez lá em Alto Araguaia, e se esta minha previsão se confirmar, o time do técnico Birigui terá que balançar as redes do goleiro Glaysson no mínimo quatro vezes, para ficar com a vaga. Na possibilidade do Colorado ser goleado, fato que há muito tempo não acontece, nem a turma do “torce contra” acredita. Por isto, arrisco dizer que irá mesmo dar Colorado neste confronto, e então ficará faltando apenas mais um mata-mata para ele chegar a Série C do ano vem.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia