JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 15 de fevereiro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Sumayra Oliveira

Por que ele tem medo?

O passado virou o diabo para o prefeito de Uberaba, comandado como mote em seu apoio à campanha eleitoral do PT. O passado representa para o prefeito duas derrotas nas eleições municipais e a influência econômica em Uberaba. Por isso, tantos ataques e manipulações de todo tipo no seu governo e em seu modo de campanha.

Mas, que medo é esse? É possível tal passado parar o avanço local?

Primeiro, o passado é para ele a história de suas derrotas pessoais, o que lhe causa tanto medo, ao ponto de passar horas e horas ligando pessoalmente para os 300 mil moradores da cidade de Uberaba, implorando o voto para seu candidato.

Moradores que estão vivendo um verdadeiro estado de guerra devido à falta d'água e de ação de Anderson Adauto em defesa da cidade.

Segundo, o processo de desenvolvimento e crescimento em que Uberaba se encontra não é um fato isolado no país. Não é Uberaba que cresceu, é o Brasil que se desenvolveu em uma onda internacional de crescimento econômico da China e da America Latina.

O prefeito Anderson afirma que devemos ter medo do passado. Porque o passado alimentava a participação de um pequeno clã nas decisões públicas. O avanço democrático brasileiro e o controle social das organizações governamentais e não-governamentais não permitem governos estabelecidos em clãs.

Como, aliás, o destemperado prefeito local tentou fazer nesse processo eleitoral em torno do nome de Rodrigo Mateus e está fazendo com o PT - excluindo a militância partidária e colocando seu exército de cargos comissionados na campanha.

O PCdoB, que esteve ao lado de Anderson Adauto nos últimos anos, rompeu sim com o prefeito em janeiro deste ano, quando o mesmo afirmou que só interessava realizar a velha e boa confusão política para não deixar Paulo Piau ser candidato.

E este é outro medo de Adauto, a falta das bases de sustentação do seu governo, e ele tivesse que voltar às situações de incerteza relativa à sua carreira política nas próximas eleições.

Mas, o medo que literalmente tira o prefeito do eixo é o preparo técnico e a experiência de Paulo Piau. Medo que Piau catalise os descontentamentos com o seu governo, que são: o trato com o servidor público, o desrespeito com o cidadão, as denúncias de envolvimento em corrupção no esquema como do mensalão e a falta de cuidado com a cidade e o povo, que continua a arder em Uberaba. E, principalmente, que Paulo se torne historicamente um bom prefeito. Fato este que Adauto sabe ser verdade e o faz tremer de tanto medo.

No fundo o que Anderson Adauto quer é que ninguém com mais capacidade, experiência e preparo governe Uberaba. Esse é o verdadeiro medo dele, a perda da liderança popular, onde o seu ego não permite reconhecer o que é melhor para o povo de Uberaba.

 

(*) Presidente do PCdoB de Uberaba

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia