JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 19 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SOBRE RODAS

Nunca ande com o tanque de combustível na reserva

Com toda a crise que assola o país e a escassez de dinheiro no bolso, os motoristas colocam o mínimo possível de combustível

23/03/2019 - 08:22:14. Última atualização: 23/03/2019 - 09:19:36.

Foto/ reprodução

Quando acontece a pane seca, o condutor, além de ter que empurrar o carro, perde pontos na carteira e ainda tem que pagar o guincho. Rogério Rocha explica que a bomba de gasolina deve ficar sempre imersa ao combustível porque é ela que lubrifica e refrigera todo o sistema garantindo o seu bom funcionamento

Com os preços dos combustíveis subindo quase toda semana, muitos motoristas deixam para abastecer o seu veículo quando o ponteiro está quase ou entrando na reserva. Com toda a crise que assola o país e a escassez de dinheiro no bolso, os motoristas colocam o mínimo possível de combustível. “Muita gente faz isso porque não sabe que andar com o carro sempre na reserva pode trazer problemas bem mais sérios do que simplesmente ficar parado no meio da rua por falta de combustível”. Quem alerta é o empresário Rogério Silva Rocha, ex-presidente do Simu - Sindicato da Indústria Mecânica de Uberaba e proprietário da Retiub - Retífica Uberaba Ltda.

De acordo com Rogério, o manual do proprietário de cada veículo indica a capacidade máxima do tanque de combustível. “Se o total, por exemplo, for de 50 litros, ali já está incluído o volume de combustível da reserva técnica, que pode ser 6 ou 7 litros, mais ou menos, dependendo do carro”, explica. Ele diz que quando a luzinha do painel acende, referente ao volume que resta no tanque, é a quantidade mínima de litros que as montadoras consideram ideal para se chegar ao posto de combustível mais próximo. “Essa reserva só deve ser usada em casos emergenciais”, ratifica ele.

BOMBA DE GASOLINA

Rogério Silva diz que andar com pouco combustível no tanque pode quebrar a bomba de gasolina e o conserto não sai nada barato. “Acontece que esta bombinha, que fica dentro do reservatório, leva o combustível do tanque ao sistema de alimentação do motor. Para funcionar corretamente, ela deve ficar imersa no combustível, que a manterá sempre resfriada”, instrui.

Ainda segundo Rogério, esta bomba é lubrificada e refrigerada pelo próprio líquido que passa por ela, seja gasolina, etanol ou diesel. Na falta, ou redução do nível de combustível, a bomba pode superaquecer e travar. “Os motoristas mais experientes nunca andam com menos de um quarto de combustível no reservatório de seus veículos”, afirma o empresário.

RESÍDUOS

Outro fator que o entrevistado chama a atenção é para quando o carro começa a falhar de repente. “A parte mais baixa do tanque tem muitos resíduos devido às impurezas da gasolina ou do diesel. Se tem pouco combustível, o tanque fica mais baixo e a bomba começa a sugar estes detritos levando para o motor do carro e aí começam a aparecer mais problemas como o aumento de consumo e quebra da bomba”.

DESCARTÁVEL

O empresário esclarece ainda que esta bombinha que leva o combustível ao motor não tem conserto e ela terá irremediavelmente de ser substituída por outra. “Dependendo do caso, além da troca da bomba, a reposição do filtro de combustível deverá ser verificada e até a sua retirada do tanque para lavagem também deve ser considerada”. Esta medida, segundo ele, é necessária para que não haja contaminação da peça nova com a sujeira que fica depositada no fundo do tanque.

PANE SECA

Rocha destaca que um possível cochilo do motorista, caso se esqueça de abastecer o veículo, pode provocar uma pane seca no meio do tráfego. “Além do transtorno, o condutor do carro pode sofrer sanções como perder pontos na carteira e ter que pagar o guincho para levar o carro para o pátio da Polícia”. Finalizando, Rogério Rocha ensina que o correto é trazer a manutenção do carro sempre em dia, mesmo com algum sacrifício, pois só assim as peças terão uma vida mais longa e muitos problemas serão evitados.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia