JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Acupuntura se torna aliada para tratamento de síndrome do pânico

Competição por melhores cargos no emprego e vida pessoal atribulada são fatores que aumentam a ansiedade, mal diretamente associado ao transtorno do pânico

- Por Thassiana Macedo Última atualização: 17/07/2013 - 00:33:24.

Estresse, transtornos de pânico, insônia e obesidade são alguns dos problemas diretamente relacionados a um mal comum na sociedade moderna: a ansiedade. Estima-se que, no Brasil, haja cerca de 15 milhões de brasileiros adultos suportando sofrimentos mais graves relacionados à ansiedade. São pessoas que têm desde crises de tontura, diarreia e dor no peito, como também aquelas que amargam a mais completa paralisação e pânico diante de qualquer situação que lhes pareça ameaçadora.

De acordo com a fisioterapeuta Karla Chebel, a pessoa ansiosa costuma criar expectativas pessimistas desnecessárias sobre acontecimentos futuros, querendo, geralmente, resolver as situações antecipadamente. “As preocupações são intensas, duradouras e frequentes e, infelizmente, esse é um mal que vem crescendo. A competição por melhores cargos no emprego e a vida pessoal atribulada são alguns dos fatores que aumentam a preocupação de quem já sofre do problema. Outro problema associado à ansiedade é o transtorno do pânico. Seus sintomas aparecem de forma brusca. O indivíduo está tranquilo e, de repente, imagina que determinada situação é ameaçadora. Passa a ter sintomas como falta de ar e tontura. O episódio dura cerca de dez minutos. Ele pode sentir medo de ficar sozinho em casa e, por isso, toda vez que se vê nessa circunstância, entra em pânico. As crises costumam se repetir com frequência. Quando em estágio avançado, o pânico leva a pessoa a evitar até mesmo ir ao trabalho”, destaca.

A principal recomendação é procurar o médico já a partir da primeira manifestação. Karla ressalta que as fobias também estão relacionadas à ansiedade. São medos irracionais, exagerados e persistentes de situações, objetos e animais. Há quem tenha fobia de sangue, avião, doenças, entre outras. “A ansiedade também está por trás do Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). O indivíduo tem imagens ou ideias repetidas e começa a apresentar atitudes para afastar os pensamentos. Ele cria rituais como, por exemplo, levantar-se várias vezes da cama à noite para verificar se a porta está trancada”, informa.

Dependendo do caso, são indicadas terapias, tratamentos medicamentosos, mas há ainda alternativas que, em longo prazo, podem trazer soluções mais duradouras à ansiedade e seus efeitos nocivos. “Através das agulhas, a acupuntura atua sobre determinadas terminações nervosas do corpo e o estímulo é levado até o cérebro. Lá, acontece uma liberação de serotonina, que inibe ansiedade e até mesmo as crises de pânico. Por meio dessa técnica milenar, é possível também tratarmos a insônia e a obesidade, que muitas vezes são queixas comuns da pessoa ansiosa. O tratamento consiste na acupuntura sistêmica, aplicada em todo o corpo, e/ou auricular, quando se utiliza de pontos localizados na orelha que correspondem a órgãos e funções do corpo”, explica a fisioterapeuta Karla Chebel.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia