JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de novembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Homens acima dos trinta estão mais vaidosos

Botox, preenchedores e tratamentos contra a calvície estão entre a procura

13/09/2018 - 17:29:39. Última atualização: 13/09/2018 - 17:38:34.

Foto/ilustrativa

Foi-se o tempo que vaidade é coisa de mulher. Hoje em dia, o mercado da beleza está cada vez mais propício para os homens. Para se ter ideia, segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Clínicas e Spas (ABC Spas) realizada em 2018, o público masculino já representa 30% dos pacientes de clínicas estéticas.

Uma curiosidade é quanto a faixa etária dessas pessoas. A dermatologista, Dra. Monalisy Rodrigues, adverte que os homens que estão utilizando esses serviços com maior intensidade são os que estão entre 30 e 50 anos. “Não existe idade para se preocupar com a aparência, mas os homens mais maduros estão procurando cada vez mais procedimentos como o botox, uso de preenchedores, microagulhamento e até mesmo cuidados com a calvície. Em resumo, esses pacientes querem ter uma expressão facial mais jovial”, conta a médica.

Em geral, o perfil desses homens são recém-divorciados atrás de resultados imediatos e sem preocupação com o quanto investir. Para a sorte desse público a maioria desses tratamentos são rápidos e mostram resultados consistentes logo após a realização ou em poucos dias. A recuperação, também é rápida. Por se tratar de simples aplicações e não haver incisões cirúrgicas, tais serviços excluem longos prazos de repouso.

“É claro que cada um dos métodos reagem de uma forma diferente, mas no geral esses serviços dermatológicos apresentam resultados bem rápido”, explica a Dra. Monalisy. No caso do botox, por exemplo, substância que camufla as rugas e linhas de expressão, assim que aplicado, a pele diminui a flacidez. O mesmo vale para a aplicação de ácidos e outros preenchedores. Logo de início, esses produtos deixam um inchaço visível, mas em questão de dois ou três dias esse inchaço diminui e permanece apenas a elevação planejada.

Já no caso da calvície é um pouco mais demorado. “No caso dessa técnica, lidamos com uma questão hormonal. Acontece que o bulbo capilar começa a defasar graças a transformação da testosteronaem dihidrotestosterona, ou DHT devido a ação de uma enzima chamada 5-alfa-redutase. Tratar essa conversão leva mais tempo, mas os homens não deixam de procurar mesmo sabendo dos resultados a longo prazo”, conta a especialista.

Quanto a durabilidade, ela também colabora com a relação custo-benefício. Em alguns dos casos, o recurso dura entre seis e oito meses, podendo chegar até à um ano. Tudo é uma questão do quanto o corpo irá demorar para absorver o produto implantado e essa situação varia de acordo com o paciente.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia