JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 15 de agosto de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Para aumentar recursos do HR, Ricardo Barros cobra plano de custeio

Além de novos investimentos, o ministro da Saúde também cobrou comprometimento das prefeituras da região com a manutenção da estrutura

Por Gisele Barcelos. Última atualização: 10/02/2018 - 07:38:16.

Sandro Neves


Ministro da Saúde, Ricardo Barros, também cobrou comprometimento das prefeituras da região com o custeio da estrutura

Antes de novos investimentos para Hospital Regional, o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), cobrou apresentação de plano de custeio da unidade. Durante discurso, ele assegurou que existem recursos federais disponíveis para atender à demanda, mas argumenta ser necessário comprovar a viabilidade da manutenção da estrutura.

O posicionamento do ministro ocorre em meio às articulações para formalizar o convênio com as prefeituras do Triângulo Sul para a repartição das despesas de manutenção do HR e também ao trabalho para conseguir a liberação da contrapartida do Estado para o custeio da unidade. Por enquanto, a estrutura está em operação com injeção de recursos federais. No entanto, a verba é suficiente para manter o atendimento só até abril.

Ao discursar para prefeitos da região, Barros também defendeu a participação financeira das prefeituras do Triângulo Sul no custeio do serviço. “Os prefeitos não podem mandar apenas a van ou ambulância com paciente. Têm que mandar o recurso”, acrescentou.

Além disso, o ministro criticou o Estado por atrasos nos repasses da Saúde e também questionou o governo mineiro por não cumprir a parte referente à manutenção do HR em Uberaba. “Minas Gerais tem vários hospitais quase prontos e que têm pouca perspectiva de funcionamento, não por falta do nosso apoio. O governo federal tem pago pontualmente suas obrigações”, argumentou.

Para o ministro, é preciso assegurar condições para continuar o atendimento antes de qualquer novo investimento na unidade. “Aguardo que me apresentem o modelo de sustentabilidade desta expansão. Quem paga a conta do hospital operando? Aí, vamos liberar os R$ 8 milhões de equipamentos necessários para a nova etapa de operação”, disse.

Barros também posicionou que colocaria em avaliação as demandas referentes à construção de novas unidades de saúde. Por outro lado, ele confirmou a autorização do repasse para a obra do CAPs 3 e para o programa de fitoterápicos. 

Piau espera que cobrança possa levar municípios a confirmar participação

O prefeito Paulo Piau (MDB) considerou coerente a resposta do ministro em relação ao pleito do Hospital Regional. Ele concorda que é necessário apresentar o plano de sustentabilidade financeira e a fonte do custeio, antes da injeção de mais recursos na unidade.

Piau também espera que os municípios da região entendam a cobrança do ministro e confirmem a participação financeira na manutenção do HR. “Mais da metade das prefeituras já está com lei aprovada na Câmara [para autorizar o repasse]. Esse chamado feito aqui vai favorecer para que as outras também compareçam”, declara.

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia