Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
POLTICA
Tamanho do texto: A A A A
Thassiana Macedo - 27/02/2016

Deciso da Justia reacende debate sobre os limites de plantio de cana

Compartilhar:

Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) reacendeu discussão política de quase uma década sobre a limitação do plantio de cana-de-açúcar no município de Uberaba. O ministro Gilmar Mendes julgou improcedente recurso extraordinário com agravo contra Ação Direta de Inconstitucionalidade, impetrado pela Prefeitura de Uberaba.

A ação foi iniciada com denúncia popular protocolada no Ministério Público Estadual pelo ambientalista Carlos Marcos Perez Andrade, em 13 de dezembro de 2007, visando ao cumprimento do Plano Diretor (Lei Complementar Municipal nº 359/2006) que proibia o plantio de cana-de-açúcar, respeitada a distância mínima de três mil metros a contar do limite da zona urbana, bem como o cumprimento da Lei Orgânica que estabelecia o limite de 10% do total da área do município para o plantio da cultura. O documento contou com 300 assinaturas.

No entanto, em 18 de dezembro de 2008, a Câmara Municipal aprovou a Lei Complementar nº 397, proposta pelo então prefeito Anderson Adauto, revogando o dispositivo que limitava o plantio de cana. A denúncia popular gerou representação feita pelo promotor de Meio Ambiente, Carlos Alberto Valera, à Procuradoria Geral de Justiça, a qual propôs uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) perante o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) por ferir aos princípios do art. 225 da Constituição Federal e 214 da Constituição Estadual. Em 2014, por unanimidade, a corte mineira julgou inconstitucional a Lei Complementar nº 397/2008.

Para Carlos Perez, agora é preciso saber qual foi o impacto gerado pelo plantio de cana-de-açúcar e reforçar o debate sobre o assunto, propondo a criação de um cinturão verde em torno do perímetro urbano e que o produtor rural seja pago para realizar a recuperação e recomposição do meio ambiente.

Em nota, o procurador-geral do Município, Paulo Salge, afirma que está ciente da situação e esclarece que a decisão do Supremo está sendo observada e que o município tem feito todos os esforços para atender à determinação. Ele informa ainda que já existe Ação Civil Pública que tramita na comarca abordando esta situação de plantio e lá o processo está em fase de perícia, onde se constatará se o que está previsto em lei está sendo efetivamente observado, o que é também a tônica do município. Ele reforça que o município tem atuado firme no que tange à sustentabilidade.



OUTRAS NOTCIAS


Vereador espera para maro reunio com Pimentel sobre preos dos combustveis (15/12)
Piau sai em defesa de Michel Temer ao reagir a vaias de pequeno grupo (15/12)
Legislativo liberou 13 salrio dos servidores nesta quinta-feira (15/12)
Baldy se esquiva de comentar sobre votao da reforma da Previdncia (15/12)
Lideranas pedem manuteno de verba para represa (15/12)
Restaurante Popular volta pauta da Cmara nesta sexta-feira (15/12)
Conjuntos carecem de recursos para construir escolas, creches e UBSs (15/12)
Ministro anuncia verba para creche no Isabel do Nascimento (15/12)
Temer recebe alta de hospital em So Paulo (15/12)
Acio afirma que concorrer ao governo de Minas ou ao Senado em 2018 (15/12)
Justia marca para 20 de fevereiro interrogatrio de Lula na Operao Zelotes (15/12)
Empresa assina protocolo de intenes para investir em nova unidade no DI-2 (14/12)
Prefeitura autorizada a conceder iseno fiscal a concessionrias (14/12)
Cmara aprova em 2 turno o aumento do nmero de vereadores (14/12)
Receita municipal em novembro 10,5% maior que a do mesmo ms de 2016 (14/12)
Ministro das Cidades entrega hoje unidades do Isabel do Nascimento (14/12)
Senado aprova securitizao das dvidas da Unio, medida que pode garantir 13 dos servidores mineiros (14/12)
Governo libera ICMS atrasado (13/12)
Fernando Pimentel acompanha votao de projeto para garantir recursos para 13 em MG (13/12)
Aposentados com benefcio acima de R$ 2,5 mil continuam sem receber (13/12)




EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Os vereadores aprovaram em segundo turno, por 13 votos a um, o aumento do nmero de cadeiras para a prxima legislao, em 2021. Voc concorda com a proposta?




JM FORUM
Empresas do transporte coletivo solicitam aumento de cerca de 10% no valor da passagem, que pode chegar a R$ 4,17 em 2018. Na sua opinio, o que poderia justificar este aumento?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2017