JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Educadores do município denunciam que não receberam aumento de 8,8%

Cerca de mil educadoras formalizaram reclamações ao sindicato e informaram que não tiveram qualquer aumento no valor da remuneração

19/06/2019 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos Última atualização: 19/06/2019 - 14:07:32.

Educadores denunciam ausência de reajuste salarial de 8,8% para profissionais da categoria. Cerca de mil educadoras formalizaram reclamações ao sindicato e informaram que não tiveram qualquer aumento no valor da remuneração. 

Em relatos encaminhados ao Sindemu (Sindicato dos Educadores do Município de Uberaba), as profissionais posicionaram que não houve diferença no pagamento final do mês porque o valor foi descontado no abono complementar utilizado para atingir o piso do magistério. Segundo informações do sindicato, antes do reajuste, a Prefeitura pagava R$2.168 de vencimento, mais um abono complementar de R$228, atingindo R$2.393. Com o piso do magistério usado na forma proporcional, uma educadora com formação inicial que trabalha 39 horas teria que receber agora, no mínimo, R$2.493.

O problema relatado pelas educadoras é que, com o reajuste no mês passado, a Prefeitura passou a pagar R$2.356 de vencimento básico e apenas R$37 de abono, totalizando os mesmos R$2.393 anteriores. O caso inclusive já foi comunicado pelo sindicato ao Ministério Público, que está com inquérito civil aberto para apurar a questão do pagamento do piso do magistério no município.

Acionada pela reportagem do Jornal da Manhã, a Prefeitura não respondeu se ocorreu algum erro no processamento da folha de pagamento do último mês e nem se a situação dos educadores seria corrigida. A Secretaria de Administração posicionou apenas que “o professor da rede municipal de ensino é um profissional fundamental no município, e os professores recebem por hora aula e possuem verbas variáveis que não são tratadas na lei do piso”. 

Além disso, a pasta manifestou que o município elaborou projeto de lei para transformar o educador infantil em professor da Educação Infantil. Segundo a nota, o projeto será protocolado em breve na Câmara Municipal e resolverá a situação dos educadores infantis, porém não foi detalhado se a resolução corrige o problema relatado sobre a ausência do reajuste salarial de 8,8%.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia