JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 17 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Tribunal de Justiça prorroga prazo para municípios aderirem a acordo

Balanço parcial aponta que 745 cidades mineiras já aderiram à negociação e concordaram em receber os valores parcelados

18/06/2019 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Tribunal de Justiça de Minas Gerais prorroga até 15 de julho prazo para municípios formalizarem adesão ao acordo com o Estado para receber os repasses atrasados do ICMS, IPVA e do Fundeb. Balanço parcial aponta que 745 cidades mineiras já aderiram à negociação e concordaram em receber os valores parcelados. Uberaba ainda não faz parte da lista.

A Secretaria Municipal de Finanças informou, por meio da assessoria de imprensa, que não houve recuo e a Prefeitura fará adesão ao acordo. No entanto, a pasta esclareceu que havia algumas questões burocráticas para ser finalizadas e o processo deve ser concluído nos próximos dias para que Uberaba também confirme a conciliação com Estado dentro do prazo estabelecido pelo Tribunal de Justiça.

Ao anunciar a prorrogação da data-limite para adesão, a vice-presidente do TJMG, desembargadora Mariângela Meyer, disse que a medida foi necessária porque alguns municípios não teriam aderido por causa de dificuldades técnicas e de distância em relação à capital. A magistrada também manifestou que as prefeituras que não entrarem na conciliação podem demorar até 14 anos para receber o dinheiro, porque o pagamento seria via precatórios e a solução judicial é lenta. “As ações demoram na Justiça uma média de, no mínimo, dois a três anos, sem contar que as decisões saem em forma de precatório, e esse precatório está demorando de 13 a 14 anos para receber o valor do passivo”, posicionou.

Intermediado pelo Tribunal de Justiça, o acordo entre prefeituras e Estado prevê o pagamento em 33 parcelas de recursos ao ICMS, ao IPVA e ao Fundeb não repassadas pelo governo mineiro. A previsão do início dos pagamentos é janeiro de 2020. Caso haja fluxo de caixa, poderá haver antecipação de pagamentos. No caso de descumprimento dos repasses, poderá ocorrer o bloqueio imediato de valores retidos há mais de 30 dias nas contas do Executivo estadual, mediante acionamento do Poder Judiciário pela AMM (Associação Mineira dos Municípios).

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia