JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 19 de agosto de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Vítima de homicídio filmado teria sido condenado à morte pelo PCC

Acusado pela facção criminosa de ter matado adolescente de 16 anos, Douglinha teria ido a julgamento, onde o pai de sua vítima estava presente

- Por Renato Manfrim Última atualização: 08/02/2018 - 09:27:35.

Sandro Neves


Corpo de Douglinha foi localizado à margem da avenida Filomena Cartafina, a cerca de três quilômetros da cidade  

Acusado pela facção criminosa de ter matado adolescente de 16 anos, Douglinha teria ido a julgamento, onde o pai de sua vítima estava presente.
Delegado chefe da DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa), em Uberaba ouviu recentemente preso do Presídio Professor Jacy de Assis, de Uberlândia, acusado de roubo, que teria participado de ‘suposto julgamento do PCC’, o qual teria sido condenado à morte Douglas Reis Silva, “Douglinha”, 20 anos, cuja execução aconteceu em outubro do ano passado. Este homicídio teve grande repercussão já que os executores filmaram o crime e enviaram para a mãe da vítima.

Douglinha foi executado a tiros e encontrado morto no dia 20 de outubro em matagal à margem da avenida Filomena Cartafina, a cerca de três quilômetros de Uberaba. O “julgamento” teria acontecido, segundo Cyro Outeiro, delegado chefe do DHPP, no dia que foi encontrado o corpo do adolescente Andrew Derick Cantarelli da Silva, 16 anos, em matagal da também na avenida Filomena Cartafina, no Distrito Industrial 3, ou seja, no dia 26 de setembro do ano passado. Douglinha era o principal suspeito de ter matado Andrew. O homem preso em Uberlândia disse que a reunião foi um churrasco e confirmou a presença do pai de Andrew e de Douglinha.

“De acordo com nossas investigações, os membros do PCC estavam deliberando sobre a conduta de Douglinha por ter matado Andrew Cantarelli. Ele acabou sendo condenado à morte. O presidiário de Uberlândia nega a participação na morte de Douglas e diz que esta reunião não tinha sido um julgamento; disse que era um churrasco. Mas por que o pai de Andrew estava neste suposto churrasco na companhia do suspeito de ter matado o filho dele? Então, na verdade, eles não estavam num churrasco, estavam deliberando sobre a conduta do Douglas”, declarou Dr. Cyro.

O inquérito do homicídio de Douglinha ainda não foi finalizado. Três pessoas foram presas: a mãe de Andrew, suspeita de ter encomendado o assassinato de Douglas, e um dos executores. Quanto ao pai de Andrew está foragido, já que contra ele há mandado de prisão. 

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia