JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ESPORTE

Com moral, R. Santana pode ser efetivado no Atlético

Sérgio Sette Câmara bancou Rodrigo Santana no Atlético. Em agosto de 2018, o presidente contrariou a opinião de seus pares

16/06/2019 - 00:00:00. - Por Folhapress Última atualização: 16/06/2019 - 08:42:21.

Foto/Bruno Cantini/Atlético

Nos bastidores do Galo, Rodrigo Santana não é tratado mais como técnico interino
 

Sérgio Sette Câmara bancou Rodrigo Santana no Atlético. Em agosto de 2018, o presidente contrariou a opinião de seus pares ao tirar o técnico da URT para levá-lo ao sub-20 do clube. Os principais aliados do mandatário na ocasião - o ex-diretor de futebol Alexandre Gallo e outros membros do departamento de futebol - não viam a mesma necessidade de buscar o treinador no clube do interior. 

A boa passagem pela equipe de Patos de Minas, no entanto, havia agradado o mandatário. Certo de que o técnico poderia ter um futuro brilhante, o cartola o contratou, mesmo com as ideias contrárias. Não à toa é tido como o "pai de Rodrigo Santana" na Cidade do Galo.

"O pai dele é o presidente Sérgio Sette Câmara, que o buscou na URT, apostou no treinador. Quando cheguei em Belo Horizonte, já tinha detalhes de todos os profissionais do clube. Eu disse ao presidente: 'olha, vamos colocar o Rodrigo, trabalhar com o Rodrigo'. Tinha certeza que daria certo. Ele tem perfil, é treinador que tem uma escola diferente. Não saiu do ar condicionado para o campo, ele era jogador de futebol. Tomara que se torne uma grande alternativa para esses treinadores jovens no Brasil", disse Rui Costa, diretor de futebol do clube, em entrevista a Milton Neves.

Em oito meses no Galo, teve uma oportunidade única: substituir Levir Culpi, demitido no início de abril passado por conta da campanha na fase de grupos da Copa Libertadores. Há dois meses à frente do time, Santana já comandou a equipe por 17 partidas, com oito vitórias, três empates e seis derrotas. O aproveitamento (52,94%), o trabalho cotidiano e aprovação do grupo fizeram ele se sustentar no cargo, enquanto a diretoria procurava nomes para a vaga deixada por Levir Culpi. 

Agora, Rodrigo Santana já não é tratado como interino nos bastidores da Cidade do Galo. A diretoria utiliza o termo apenas para protegê-lo e evitar que a pressão seja ainda maior sobre o técnico. A diretoria não confirma, mas o mais provável é que Santana seja confirmado como técnico do clube ao fim da paralisação para a disputa da Copa América.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia