Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
Tamanho do texto: A A A A
27/12/2009

Como Uberaba sobreviveu s crises

Compartilhar:

O Brasil saiu bem da crise econômica mundial, aliás, como referência, em função da força do seu mercado interno, da confiança em manter as políticas estabelecidas pelo Banco Central e dos incentivos criados pelo governo para transpor a instabilidade.
 
Aqui, na cidade, as grandes empresas criaram estratégias diferentes para driblar o mau momento. Cada uma, ao seu modo, com fusões bruscas ou nem tanto, venceu o desafio. O fato é que pouco antes deste turbilhão se instaurar, Uberaba se viu invadida por uma onda de otimismo, que gerou uma série de empreendimentos em diferentes segmentos.
 
Mas o que os empreendedores perceberam no município e que ainda não havíamos conseguido enxergar? Por que várias redes supermercadistas e farmacêuticas resolveram, de repente, investir aqui? Teremos gente bastante para morar nos muitos empreendimentos imobiliários ou para se divertir em tantos bares e restaurantes?
 
Pesquisa da Fundação João Pinheiro não percebe este crescimento populacional espantoso, a menos que o Brasil apresente um fato gerador. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, João Franco, o município segue tendência mundial que vê o Brasil como potência. Entre os privilégios e vantagens que muitos lugares não têm, Uberaba possui posição geográfica e infraestrutura estratégicas. Franco assegura que outro ponto que teria chamado a atenção dos investidores seria a qualidade de vida e o canal aberto com os governos estadual e federal. A expansão da área plantada de cana seria fator determinante para atrair os investimentos? O governo municipal não nega a importância do setor, mas prefere apostar no fortalecimento de Uberaba como cidade pólo – segundo levantamento da própria prefeitura, são 2.201.402 consumidores potenciais num raio de 100 quilômetros.
 
Tantos números impulsionam a diversificação da economia, atualmente alicerçada no tripé serviços (57,71), indústria (33,20%) e agronegócios (9,09%).

A consolidação destas perspectivas conforme o panorama atual é o assunto sobre o qual trataremos nesta JM Extra/Negócios.

Nossa capa:
Karim Abud Mauad, presidente da Aciu; Neilson Batista,
proprietário do Supermercado NBC; Guilherme Vilela, superintendente
do Shopping Uberaba; Rivaldo Machado Borges, presidente do Sindicato
 Rural e proprietário da Uberserra; Rodrigo Goulart, diretor comercial da
Beladeia Urbanismo; Sérgio de Souza, proprietário da Imobiliária Visão;
Maria do Rosário Resende, empreendedora do Residencial Villagio Di Fiori;
Fúlvio Ferreira, presidente da CDL; Tuca Antônio, proprietária do
Chef Tuca Antônio Gastronomia Criativa; Ricardo Ferreira Faria,
proprietário da Água Doce Cachaçaria  • Foto: Ramon Magela

 

 






EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
A pouco mais de dois meses antes do fim do prazo, cerca de metade dos uberabenses ainda no fez o cadastramento biomtrico. Quem no realizar o procedimento ter o ttulo cancelado. Voc j fez o seu?





JM FORUM
Com a aproximao da Black Friday (24/11), muitas empresas esto divulgando descontos para atrair os consumidores. Como voc pretende aproveitar as oportunidades?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2017