Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
Tamanho do texto: A A A A
27/12/2009

Como Uberaba sobreviveu s crises

Compartilhar:

O Brasil saiu bem da crise econômica mundial, aliás, como referência, em função da força do seu mercado interno, da confiança em manter as políticas estabelecidas pelo Banco Central e dos incentivos criados pelo governo para transpor a instabilidade.
 
Aqui, na cidade, as grandes empresas criaram estratégias diferentes para driblar o mau momento. Cada uma, ao seu modo, com fusões bruscas ou nem tanto, venceu o desafio. O fato é que pouco antes deste turbilhão se instaurar, Uberaba se viu invadida por uma onda de otimismo, que gerou uma série de empreendimentos em diferentes segmentos.
 
Mas o que os empreendedores perceberam no município e que ainda não havíamos conseguido enxergar? Por que várias redes supermercadistas e farmacêuticas resolveram, de repente, investir aqui? Teremos gente bastante para morar nos muitos empreendimentos imobiliários ou para se divertir em tantos bares e restaurantes?
 
Pesquisa da Fundação João Pinheiro não percebe este crescimento populacional espantoso, a menos que o Brasil apresente um fato gerador. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, João Franco, o município segue tendência mundial que vê o Brasil como potência. Entre os privilégios e vantagens que muitos lugares não têm, Uberaba possui posição geográfica e infraestrutura estratégicas. Franco assegura que outro ponto que teria chamado a atenção dos investidores seria a qualidade de vida e o canal aberto com os governos estadual e federal. A expansão da área plantada de cana seria fator determinante para atrair os investimentos? O governo municipal não nega a importância do setor, mas prefere apostar no fortalecimento de Uberaba como cidade pólo – segundo levantamento da própria prefeitura, são 2.201.402 consumidores potenciais num raio de 100 quilômetros.
 
Tantos números impulsionam a diversificação da economia, atualmente alicerçada no tripé serviços (57,71), indústria (33,20%) e agronegócios (9,09%).

A consolidação destas perspectivas conforme o panorama atual é o assunto sobre o qual trataremos nesta JM Extra/Negócios.

Nossa capa:
Karim Abud Mauad, presidente da Aciu; Neilson Batista,
proprietário do Supermercado NBC; Guilherme Vilela, superintendente
do Shopping Uberaba; Rivaldo Machado Borges, presidente do Sindicato
 Rural e proprietário da Uberserra; Rodrigo Goulart, diretor comercial da
Beladeia Urbanismo; Sérgio de Souza, proprietário da Imobiliária Visão;
Maria do Rosário Resende, empreendedora do Residencial Villagio Di Fiori;
Fúlvio Ferreira, presidente da CDL; Tuca Antônio, proprietária do
Chef Tuca Antônio Gastronomia Criativa; Ricardo Ferreira Faria,
proprietário da Água Doce Cachaçaria  • Foto: Ramon Magela

 

 






EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Publicado decreto de n 1.083/2017, que tem durao de 30 dias, que vai multar quem desperdiar gua em Uberaba. Voc concorda com a medida?




JM FORUM
Operao do Comando de Operaes Especiais do Sistema Prisional (Cope) na penitenciria Professor Aluzio Igncio de Oliveira visa coibir atuao do PCC na unidade. Na sua opinio, a atuao se faz necessria e eficaz?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2017