Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
Tamanho do texto: A A A A
02/12/2008

JM EXTRA Educao

Compartilhar:

O azul deixou de ser a única cor que tinge as escolas e seus uniformes. As cadeiras enfileiradas e a ordem alfabética dos diários de chamada da época em que a “princesinha do sertão” experimentava a magia do ler e escrever também não são mais regra. A educação do século XXI abre-se à pluralidade, às múltiplas facetas das lições do dia-a-dia. As “tias” ou “donas” de outrora mostram-se, hoje, simples facilitadoras do saber. Perspicazes, percebem a necessidade de se atualizarem, sabem falar com naturalidade dos atalhos da internet e não perderam a amabilidade. As creches de agora ganharam merecido reconhecimento e profissionais devidamente qualificados. Imprescindíveis, elas são – de fato – a primeira etapa da educação básica.

Neste novo ambiente, o caminho abre-se para o eterno desafio do Ensino Fundamental: a alfabetização. Nunca bastou, mas no mundo globalizado, definitivamente, apenas decodificar símbolos é uma ingenuidade que custa caro. O contexto existe, as possibilidades, também.

O sábio Paulo Freire já dizia que “a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco a sociedade muda”. Ainda que lentamente, as escolas pintaram-se com novos tons, graças ao empenho absoluto dos mestres, da família, das mudanças da legislação e dos próprios aprendizes. Os estranhos olhares da discriminação estão mais atentos. Lado a lado, seres aparentemente diferentes ensinam e aprendem, todos os dias, unidos pelo amor ao novo. Uma evolução deliberada em todos os níveis. Macetes e fórmulas deram lugar a questionamentos. Aliás, qual é o verdadeiro papel da última etapa da educação: preparar para a vida ou para o vestibular? Neste ambiente, o conceito de avaliação se fez diferente e já se fala com naturalidade em “educar para uma vida sustentável”.

Quem poderia imaginar que até os antigos cursos técnicos profissionalizantes, tão fora de moda, iriam reaparecer, representando oportunidades àqueles que – ainda – não têm condições de cursar uma instituição superior? No Ensino Superior, a polêmica está em transformar o aluno em profissional. O que era impensável tornou-se real. Uma vida pode abrigar várias carreiras profissionais.

Nas particulares ou nas federais, com mais ou menos pesquisa, com sistemas de cotas ou não, os avanços da tecnologia e as novas percepções permitiram, sim, a democratização da educação. Um dia, Rubem Alves disse que “não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses”... Cá estamos nós...




Boulevard Mall Edson Prata - novo
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje

ENQUETE
Durante o inverno, normalmente as aes de combate ao Aedes aegypti perdem fora. Voc continua fazendo a sua parte?







JM FORUM
Durante o inverno, normalmente as aes de combate ao Aedes aegypti perdem fora. Voc continua fazendo a sua parte?Uberaba est de volta ao Mapa de Turismo de Minas Gerais. Na sua opinio, a conquista trar benefcios ao municpio?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2017