JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 14 de agosto de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Valor da paciência

Tendo terminado o momento da Copa, agora o Brasil se volta

Por Dom Paulo Mendes Peixoto. Última atualização: 19/07/2014 - 18:51:00.

Tendo terminado o momento da Copa, agora o Brasil se volta para as próximas eleições, também em 2014. Em vez de apontar para a bola, os olhares agora se voltam para os inúmeros candidatos para os cargos públicos. Deparamos com situações que implicam responsabilidade e consciência do valor que tem nosso voto.

Olhando para a gestão dos políticos, devemos ter um “caminhão” de paciência para conviver com realidades parecidas com o joio e o trigo, deixando os dois crescerem juntos, mas o joio deverá ser eliminado. As eleições são momentos propícios para isto. Eliminar políticos que não estão “nem aí” para o bem do Brasil. Olham seus próprios interesses e não defendem a partilha do bolo.

A dificuldade para a Reforma Política está nos políticos, sinal do desinteresse pela vida comunitária. Detêm a maior parte dos bens do país e não estão motivados para a partilha. Isto significa que o povo brasileiro precisa estar mais acordado, participar dos abaixo-assinados que são promovidos pelas entidades sociais cobrando uma autêntica reforma no sistema político.

Não é fácil votar de forma correta, porque os candidatos não têm “estrela na testa”, mas têm história de vida. Nela está a base de estrutura que demonstra sua identidade. Isto tem que ser observado pacientemente e com olhares de “pente fino”. Dependemos inclusive da ação do Espírito de Deus para conseguir enxergar o bem e o mal.

Num país de ideal democrático, como é o caso do Brasil, as consequências boas ou ruins de um voto podem ser muito grandes. Por causa disto, ele não pode ser vendido e nem comprado. A escolha de um mau candidato pode ser causa de desastre para o povo, colocando a população em dificuldade em mais quatro anos.

Alguns grupos têm perdido a paciência nos últimos tempos. Basta lembrar as diversas manifestações que aconteceram nas ruas em toda parte do país. Isto não foi por acaso, mas fruto da impaciência que está chegando ao extremo. Voto bem pensado pode ser mais forte do que a violência.

(*) Arcebispo de Uberaba

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia