Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Eliana Barbosa - 22/05/2009

Concentre-se nos pontos fortes

Compartilhar:

Buscar a vida em grupo é uma característica bem interessante nos seres humanos, porque, apesar de sabermos que precisamos uns dos outros para sobreviver, ainda negligenciamos muito as habilidades sociais necessárias para um convívio mais pacífico e produtivo.

Observe que, tanto no seio familiar ou no ambiente profissional, você faz parte de uma equipe, e, queira ou não, a sua felicidade e o seu sucesso dependem primordialmente da forma como você trata as pessoas à sua volta. A vida em família ou o trabalho em grupo são verdadeiras escolas para a sua alma, porque é nestes cenários que você aprende a respeitar as diferenças e a florescer suas mais nobres virtudes: amor incondicional, paciência, compaixão, perseverança, apreciação, comprometimento, e tantas outras.

Por isso, esteja você, hoje, em posição de liderança ou não, sua vida pode melhorar muito se você aprender a criticar menos e a valorizar mais aqueles que integram o seu viver. Defeitos ainda fazem parte da natureza humana, entretanto, grandes realizações podem acontecer quando cada pessoa aprende a valorizar os seus pontos fortes e os daqueles que lhes são companheiros nessa jornada, incentivando-os à reforma positiva de sua conduta e ao fortalecimento de seus ideais.

Finalizando, um conto para demonstrar que, apesar das falhas que precisamos corrigir, somos, mesmo assim, muito importantes para as conquistas às quais nos propomos: “Conta-se que em uma carpintaria houve uma vez uma estranha assembleia. Foi uma reunião das ferramentas para acertar suas diferenças. O martelo exerceu a presidência, mas os participantes lhe notificaram que teria que renunciar, porque ele fazia demasiado barulho e, além do mais, passava todo o tempo golpeando. O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, dizendo que ele dava muitas voltas para conseguir algo. Diante do ataque, o parafuso concordou, mas, por sua vez, pediu a expulsão da lixa. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os demais. A lixa acatou, com a condição de que se expulsasse a trena, que sempre media os outros segundo a sua medida, como se fora a única perfeita.  Nesse momento entrou o carpinteiro, juntou o material e iniciou o seu trabalho. Utilizou o martelo, a lixa, a trena e o parafuso. Finalmente, a rústica madeira se converteu num fino móvel. Quando a carpintaria ficou novamente só, a assembleia reativou a discussão. Foi então que o serrote tomou a palavra e disse: ‘Senhores, ficou demonstrado que temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades, com nossos pontos valiosos. Assim, não pensemos em nossos pontos fracos, e concentremo-nos em nossos pontos fortes’. Então, a assembleia entendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limar e afinar asperezas e a trena era precisa e exata. Sentiram-se, assim, como uma equipe capaz de produzir móveis de qualidade. E muita alegria sentiram pela oportunidade de trabalhar juntos”.

 

(*) palestrante; apresentadora de TV e rádio e autora de livros motivacionais
www.elianabarbosa.com.br




San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018