JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

O importante é o amor

Vez ou outra, em meu consultório, sou procurada por mães

- Por Eliana Barbosa Última atualização: 11/04/2014 - 19:38:04.

Vez ou outra, em meu consultório, sou procurada por mães e pais angustiados com a descoberta de que seus filhos são homossexuais, bem como atendo jovens homossexuais buscando coragem para revelar suas verdades à família e à sociedade.

Quero saber em qual modalidade de pai (ou mãe) você se encaixa: o que aceita a orientação sexual de seu filho, ou aquele que julga e briga, ou que finge não saber de nada?

Seja qual for a sua postura, eis, aqui, o meu recado pra você:

• Observe e respeite a essência de seu filho ou de sua filha e coloque seu amor acima de qualquer preconceito. Muitos pais fingem não saber, por orgulho ou medo de enfrentar os comentários alheios. Pois eles deveriam pensar na dor que é para uma pessoa ter que se esconder a vida toda, por não ter pais que a amam de forma incondicional.

• Ser homossexual não muda o caráter nem os valores de ninguém. Seu filho continua a ser a mesma pessoa e, depois de revelar seu segredo, com certeza, será muito mais feliz, livre para vencer na vida.

• Compreenda que guardar este segredo é uma verdadeira tortura para o homossexual e, muitas vezes, um caminho para a depressão e a fuga através do álcool e das drogas.

• Aprenda a valorizar o afeto, e não as aparências. Quantos casais heterossexuais infelizes, brigando na frente dos filhos, vivendo de desamor? 

• Pare de julgar e cobrar mudanças de seu filho ou sua filha homossexual, porque gostar de pessoas do mesmo sexo não é uma escolha ou opção e muito menos doença ou transtorno mental. Por isso, respeito é essencial.

• Se você realmente ama seu filho, que importa se ele se interessa por homens? Que diferença faz se sua filha prefere as mulheres para se relacionar? O importante é que sejam honestos, trabalhadores, honrados, responsáveis, saudáveis e, sobretudo, felizes! Não é isso que todo pai ou mãe quer para seus  filhos?

• Quando você aceita e respeita a orientação sexual de seu filho, você cumpre o seu papel de “porto seguro” para ele, ajudando-o a se livrar da perniciosa culpa por viver de modo diferente daquilo que a sociedade chama de normal. Para mim, normal é amar e ser amado, independente do sexo de cada um! Normal é ser feliz!

Leia mais