Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Dom Paulo Mendes Peixoto - 08/02/2014

Fazer o bem

Compartilhar:

Em tempos atuais marcados por relaxamento generalizado dos valores tradicionais da sociedade, ficamos inseguros quanto ao dizer o que fazemos de bem ou de mal. Dar esmola a quem pede pelas ruas e, com ela, consegue viver no anonimato social, será que estou fazendo o bem? Posso estar sendo conivente com o estado de dependência de quem mendiga.

O assistencialismo, as campanhas esporádicas de agasalhos, gêneros alimentícios, cestas básicas, são entendidos como um bem. Sabemos que tem mais valor dar do que receber. Quem doa, partilha, mas pode não estar libertando e nem promovendo a quem recebe. Doar simplesmente pode significar contribuir para que a pessoa se acomode e não lute por sair de sua condição de dependente.

Em outro momento é dito que devemos dar sem olhar a quem; uma mão não deve saber o que doa a outra. Numa visão cristã, tudo bem. Mas será mesmo tudo bem? A questão vai muito mais longe, com uma estrutura social totalmente arranhada, ou ferida por uma realidade de extremismos econômicos, revelando uma cultura de injustiça distributiva e de exclusão.

A Palavra de Deus fala em “ser sal e luz” no mundo. Mundo de palavras brilhantes, discursos empolgantes, mas desconectados com um projeto de vida para todos. Atender ao projeto de Deus significa deixar-se guiar por ele e construir uma sociedade fraterna, que consiga superar a onda de violência que assusta a todos.

O descuido em relação aos princípios do Evangelho tem levado as administrações públicas ao que chamamos de “beco sem saída”. O que fazer para conter hoje o nível de violência, de vandalismo em relação ao patrimônio público e a insegurança? É preciso encontrar um caminho inovador que conquiste a autoestima.

O caminho renovador deve ser capaz de provocar conduta reta e prática de valores que elevam a dignidade das pessoas, diminuindo o sofrimento de quem tem muito e de quem não tem nada. São extremos que carecem de proximidade, de despojamento e de compromisso mais sério com o sentido da vida. 

(*) Arcebispo de Uberaba




San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Aps publicao no Porta-Voz, obras da revitalizao do Calado devem sair do papel neste ms. A previso que sejam concludas em seis meses. Na sua opinio, a revitalizao fica pronta para impulsionar as compras de Natal?




JM FORUM
A partir desta tera-feira, dia 15 de maio, pr-candidatos de todo o pas podero iniciar suas campanhas de financiamento coletivo online, a vaquinha virtual. Voc acredita que a arrecadao ser suficiente para as campanhas?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018