JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 17 de agosto de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Foco da Páscoa

Além de expressar o sentido de passagem

Por Dom Paulo Mendes Peixoto. Última atualização: 13/04/2013 - 20:23:19.

Além de expressar o sentido de “passagem”, a Páscoa vem confirmar também o itinerário de toda mensagem cristã, isto é, a centralidade do Reino de Deus. Isto aparece na vida e nas palavras de Jesus, naquilo que é testemunhado pelos apóstolos e pelos prodígios na história bimilenar da era cristã, mesmo convivendo com forças contrárias e destruidoras do bem.

Todo bem realizado, em vista da liberdade e na defesa da dignidade das pessoas, está fundamentado nos objetivos do Reino. É ser diferente de atitudes egoístas, mas fruto de prática do amor, próprio do cristão no seguimento de Jesus Cristo. Diz a bíblia que até um copo de água dado ao outro, “por ser de Cristo” (Mc 9, 41), será recompensado.

Temos muitas oportunidades para fazer o bem. Até as atitudes de educação, de respeito ao outro, à natureza, ao bem público, às práticas de honestidade, são expressões do bem. Jogar lixo na rua, estragar as plantas do jardim público, deixar água parada no quintal reproduzindo mosquito da dengue, tudo isto é deixar de fazer o bem.

Sem a presença pascal de Cristo ressuscitado, muitos dos nossos atos se tornam estéreis. Ao lançar a rede de novo, os pescadores “pegaram 153 grandes peixes” (Jo 21, 11), fruto da fecundidade da palavra de Cristo. Ouvir e seguir a Palavra de Deus qualifica e dá dimensão de fertilidade em nossas atividades. Os frutos são muito mais abrangentes.

O destino da história é o Reino de Deus. Reino que deve começar hoje, tendo sua plenitude na eternidade. Não tem como dimensionar este mistério, que tem sua luz e foco na páscoa de Jesus Cristo. É o que alimenta nossa fé, provoca a caridade e motiva nossa esperança. Sem isto não conseguimos uma felicidade duradoura.

No mundo de sofrimentos e tribulações, com muita facilidade perdemos os estímulos, principalmente a esperança, essencial para o equilíbrio emocional e cristão. A Páscoa deve ser momento de renovação de forças e de compromissos mais sérios para com a vida e suas exigências.

 

(*) Arcebispo de Uberaba

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia