JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 22 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Transtornos mentais e o preconceito

Você já se deu conta do quanto é perversa

- Por Eliana Barbosa Última atualização: 01/03/2013 - 21:22:21.

Você já se deu conta do quanto é perversa a falta de aceitação e o preconceito das pessoas em relação às doenças mentais?

Sim, porque enquanto a pessoa doente não aceita e entende a doença que está perturbando o seu viver, ela passa a vida transtornada, brigando com si mesma e com o mundo, sendo tachada de “louca”, e tudo mais. A partir do momento que essa pessoa resolve se conhecer melhor, joga seus preconceitos pela janela e procura um psiquiatra, sua vida começa a mudar para melhor! E a família também precisa se desvencilhar do orgulho e apoiar o doente em seu tratamento.

Uma das crenças mais limitantes que conheço é dizer que “psiquiatra é médico de doido”. Para mim, psiquiatra é médico de QUALIDADE DE VIDA! É ele que vai dizer para a pessoa se há mesmo algum transtorno e, melhor de tudo, vai medicá-la, para que ela possa, com disciplina e seriedade no tratamento, ter de volta a serenidade, pensamentos lúcidos, sonhos e metas.

E atenção: se for preciso tomar medicamentos para o resto da vida, o doente deve aceitar, porque são remédios abençoados, que vão proporcionar a ele o direito de viver bem, com alegria e produtividade. O mal maior para um paciente psiquiátrico é a falta de humildade em aceitar o diagnóstico médico e o tratamento, que é primordial para seu equilíbrio.  

É imenso o número de pessoas bem-sucedidas e reconhecidas em sua vida familiar e profissional que são portadoras de transtornos mentais, sob controle por meio de medicamentos e psicoterapia. Aqui estou falando dos pequenos distúrbios até os transtornos mais sérios, como a esquizofrenia, passando pela depressão, o transtorno afetivo bipolar, o transtorno obsessivo compulsivo, síndrome do pânico, e tantos outros.

Portanto, se você perceber que algo não anda bem com seus sentimentos e pensamentos, ideias de perseguição, impulsividade, agressividade, muitos altos e baixos, tristeza profunda, manias, isolamento social, imagens destrutivas, etc..., tome as rédeas de sua vida, procure um psiquiatra e confie! Afinal, você merece ser feliz! 

 

(*) Palestrante, apresentadora de TV e rádio e autora de livros motivacionais
 www.elianabarbosa.com.br
eliana@elianabarbosa.com.br

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia