JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 15 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Aposentados pedem socorro

Tomo a liberdade de bater novamente na tecla dos empréstimos a aposentados

23/04/2019 - 00:00:00. - Por Mário Salvador

Tomo a liberdade de bater novamente na tecla dos empréstimos a aposentados tendo como garantia a própria aposentadoria. 

Ao pedir um empréstimo em financeira, os segurados aceitam que se debitem as prestações na conta do banco onde, mensalmente, eles recebem a aposentadoria. Não existe garantia maior para as financeiras. E justamente por isso elas dizem, num acinte ao aposentado, que ele pode pegar o dinheiro na hora, sem avalista; mesmo com o nome no Serasa. Óbvio! A própria conta bancária do aposentado o avaliza.

Já falamos, neste espaço, que o contundente avanço das financeiras sobre o aposentado levou o governo a proibir que, por um período específico, as emprestadoras de dinheiro forneçam empréstimo aos novos aposentados. A medida não adiantou muito: o assédio das financeiras continuou, agora com nova roupagem. Porém, as que tentarem burlar a lei serão proibidas de atuar no mercado.

A questão das financeiras com o aposentado é um lado da moeda. O outro lado é bem mais doloroso: são muitos os parentes do aposentado, de todos os graus, que o obrigam a pedir empréstimos que têm como garantia a aposentadoria dele próprio. E esses parentes ficam com todo o dinheiro. Como não devolvem o valor ao aposentado, esse empréstimo passa a ser um presente compulsório do aposentado ao atrevido parente ladrão.

O ajuste não seria tão inconveniente, se o favorecido assumisse o pagamento das prestações, isto é, se devolvesse o dinheiro ao aposentado, o que pode até acontecer em alguns casos. Entretanto, a maioria dos favorecidos é negligente com esse pormenor e fica com o dinheiro, dando calote nos aposentados – geralmente idosos. E também há os parentes ainda mais insolentes, que pedem ao aposentado que repita a dose. “Vai que cola.” 

E como acabar com essa desfaçatez, ou seja, com a possibilidade de o aposentado ser vítima desse delito? Lamentavelmente, não tenho a solução para o problema. Por enquanto, a única alternativa é o aposentado ter coragem suficiente para não cair na incômoda emboscada preparada por parentes inescrupulosos. Se alguém imaginar alternativas melhores, divulgue-as, por favor, pois elas serão extremamente úteis para muitos aposentados, especialmente se eles forem idosos.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia