JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 14 de dezembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

A família e a semente

O Apóstolo Paulo, na carta que escreveu aos Colossenses, deixa um recado muito direto aos pais

11/11/2018 - 00:00:00. - Por Padre Prata

O Apóstolo Paulo, na carta que escreveu aos Colossenses, deixa um recado muito direto aos pais, mães e filhos. 

O recado é o seguinte: “Pais, amai vossas esposas e não as trateis com indelicadezas. Esposas, amai vossos maridos como convém ao Senhor. Filhos, obedecei aos vossos pais para que haja paz na família. Pais, não irriteis vossos filhos, para que eles não desanimem”.

Há uma parábola que se inicia assim: “Saiu o semeador a semear sua semente...”. Pensando bem, todos nós somos semeadores. Semeamos o dia todo. A semente está nas nossas mãos e, sobretudo, em nossos corações. Nós as atiramos na medida em que caminhamos. E não há como recolhê-la. Uma vez lançada, não há como voltar atrás.

Podemos semear semente boa, mas podemos semear também semente ruim. Tanto uma como outra irá brotar. Talvez a ruim brote até mais rapidamente. A praga não deixa de ser praga.

O que semeamos é a nossa palavra, é o nosso exemplo, seja bom ou seja ruim, o certo é que a semente brotará e crescerá sem que o percebamos.

Pode ser a semente da mentira, da falsidade, da imoralidade, do desânimo, da calúnia, do ódio, da injustiça, da desunião e da prepotência.

Pode ser também a semente do amor, do carinho, da compreensão, da verdade, da fraternidade, da união, do perdão e da reconciliação.

Pode ser que um dia a gente veja o resultado do plantio. Também pode ser que não. O importante é semear. Muitas vezes quem colhe são outros.

O exemplo, quando é bom, tem efeito multiplicativo. Cresce em corrente sem que percebamos. Os gestos de amor e de perdão geram outros gestos de amor e de perdão. Uma palavra má, um exemplo indigno, criam elos negativos, propagam destruição e afundam nossos irmãos. Por isso é que o pai, a mãe, os filhos, o marido, a mulher, todos devem ouvir a orientação de Paulo. 

As grandes famílias não sobrevivem por causa de suas riquezas e de seu poder político ou econômico. As grandes famílias sobrevivem porque souberam semear.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia