JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 21 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

O direito de dizer “não”

Uma das maiores dificuldades na educação de crianças e jovens é a questão dos limites. Não existe manual de instruções de como criar melhor os nossos filhos, até porque

- Por Eliana Barbosa Última atualização: 09/10/2009 - 20:25:28.

Uma das maiores dificuldades na educação de crianças e jovens é a questão dos limites. Não existe manual de instruções de como criar melhor os nossos filhos, até porque dentro de uma mesma família, há personalidades completamente diferentes, que demandam exigências também diversas. Entretanto, hoje, felizmente, os pais podem contar com uma infinidade de livros da área comportamental, com linguagem simples, que são muito úteis na orientação educacional. E um dos pontos mais enfatizados nestes guias para os pais e educadores é a importância de saber dizer “não”, sem culpas, quando necessário for. O “não” na hora certa é fundamental para mostrar aos nossos filhos a realidade que eles vão enfrentar na vida adulta, porque o mundo – fora de casa – não alisa a cabeça de ninguém e eles vão ouvir muito mais “não!” em sua existência do que “sim!”.

Por isso, os pais precisam preparar seus filhos para a vida - para os limites que a vida social impõe -, e esse preparo começa dentro de casa. Você, pai ou mãe, saiba que tem o direito de dizer “não” aos seus rebentos quando achar conveniente, sabendo que você vai enfrentar muitas chantagens emocionais, muito choro e rebeldia. E, nessa hora, a melhor postura de um educador é não entrar em guerra com os filhos, não gritar, não discutir. Você mostra a sua autoridade a uma criança e adolescente com o seu olhar e, é claro, com os castigos justos, na hora certa.

E se seus filhos adultos, ainda dependentes emocional e financeiramente, lhe pressionarem e você considerar que é hora de dizer “não”, diga, sem culpas, porque você tem esse direito! Quando você diz “sim” para algo que gostaria de ter dito “não”, deixa de ser sincero com a pessoa mais importante da sua vida – Você! E, assim, aos poucos, de tanto “engolir sapos”, você começa a adoecer, a se sentir triste e não entende o que está causando os seus problemas. E digo mais... na verdade, não são os seus filhos sem limites que estão lhe fazendo sofrer, e sim, você, que se coloca em uma posição de permissividade e passividade, e eles, naturalmente, abusam de você.

Se você quer ter uma convivência de respeito dentro do seu lar, aprenda, o quanto antes, a importância de um “não” coerente e consistente, tomando o cuidado de não dar respostas definitivas antes de pensar,  para, assim, ser justo e não precisar “voltar atrás”  depois das pressões e insistências dos filhos.

Nas famílias mais abastadas, uma das maiores dificuldades que percebo é em saber impor limites aos desejos e caprichos dos filhos. A cobrança dos jovens é muito grande e pode ser um motivo de muitos conflitos dentro do lar. Cabe aos pais muita persistência no seu direito e até dever de dizer “não”,  quando julgarem necessário -  de serem assertivos -, porque seus filhos precisam entender que a vida real só nos dá aquilo que merecemos. Que eles, então, façam por merecer e aprendam, desde cedo, a importância da generosidade e do compartilhamento.

Lembre-se que, como disse o ex-presidente norte-americano John Kennedy, “Eu não sei a fórmula do sucesso, mas a fórmula do fracasso é querer agradar a todo mundo.” No campo educacional, esta também é a fórmula do fracasso.  

 

(*) palestrante; apresentadora de TV e rádio e  autora de livros motivacionais
 
www.elianabarbosa.com.br

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia