JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Tu eternizas?

Eis que lá vou eu perambulando pelas ruas da cidade de Uberaba em busca de um estabelecimento...

- Por Ana Carolina Cunha de Oliveira Última atualização: 10/08/2017 - 20:09:52.

Eis que lá vou eu perambulando pelas ruas da cidade de Uberaba em busca de um estabelecimento que seja capaz de eternizar pessoas. Entro aqui, vou acolá e nada de encontrar uma fórmula para eternizar ou quem eternizasse.

No vai e vem, entra e sai, resolvi parar em uma praça logo ali, subindo a rua em paralelepípedo, na esquina de uma sorveteria, ao lado de uma escola.

A tranquilidade daquele lugar e as folhas dos ipês roxos sobre a calçada reuniam várias pessoas que também contemplavam a beleza do cenário narrado.

Ali conversando com um senhor que vendia picolé, resolvi indagá-lo se ele tinha a fórmula mágica de como eternizar. “Ora, o que seria eternizar e quem a jovem menina gostaria de eternizar?”, retrucou em seguida, com os olhos espantados e ansioso para ouvir a resposta.

Logo respondi: “A palavra eternizar, de acordo com o dicionário Aurélio, significa 'perpetuar-se; tornar-se célebre', e eu gostaria de encontrar uma fórmula mágica para eternizar todos os pais do mundo. O meu pai e o seu pai”.

O papel do Pai na criação de um filho possui função essencial no desenvolvimento pessoal e profissional.

Pai rico, pai pobre, pai branco, pai negro, pai empregado, pai desempregado, pai de sangue, pai de consideração, pai avô, pai mãe, pai tio, pai irmão, pai padrinho. Nesse momento não necessariamente importa o DNA, e sim o afeto, a consideração, o amor, o exemplo de lealdade e fidelidade.

A figura paternal é representada por seres humanos que se vestem de heróis e constantemente ganham e perdem batalhas para oferecer o melhor para seu(s) filho(s).

Em instantes, percebi que escorriam lágrimas dos olhos do senhor Mané (o homem que vendia picolé na pracinha), em seguida a revelação de que seu Pai, homem de caráter, trabalhador, íntegro e humilde, havia falecido há alguns anos.

Senhor Mané declarou que trazia consigo uma foto 3x4, guardada em sua carteira, e sua única irmã guardava o relógio de bolso que seu pai tanto usava. Os pertences recordavam os momentos vividos ao lado do grande homem – o seu querido e amado pai –, cujo orgulho era revelado por meio daquele olhar simples, cativante e macio na voz do senhor Mané.

Compreendi que aqueles gestos simples simbolizavam lembranças eternas e que cada filho(a) possui uma maneira de eternizar. Entretanto, para que sejam possíveis estes momentos, é necessário abraçar mais, valorizar, ter paciência e zelar do seu e do meu pai.

Desejo que nós, filhos, possamos aproveitar nossos pais, doando amor e valorizando o bem mais precioso que Deus concedeu a cada um: a Família.      
E, por fim, a vocês, papais, um eterno e feliz Dia dos Pais! 

(*) Advogada

Leia mais