Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Drisdelle Lopes - 21/03/2017

A excluso do ICMS da base de clculo do PIS/Cofins e a possibilidade de reaver os valores pagos indevidamente

Compartilhar:

Na quarta-feira (15/03/2017), o STF (Supremo Tribunal Federal), através de 6 votos a 4, decidiu pela não inclusão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) na base de cálculo das contribuições do PIS (Programa de Integração Social) e da Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social).

A ação foi proposta pela Imcopa, empresa do Paraná especializada no processamento de soja, e o julgamento do RE 574.706 (Repercussão Geral) iniciou-se na quinta-feira (09/03/2017). Contudo, foi interrompido porque os ministros Gilmar Mendes e Celso de Mello não se encontravam no plenário.

Com efeito, na quarta-feira (15/03/2017), o julgamento foi retomado, com decisão definitiva favorável ao contribuinte, sob o fundamento de que o ICMS não compõe a base de cálculo para incidência do PIS e da Cofins, portanto, ilegítima sua inclusão na base de cálculo do Pis/Cofins.

O PIS e a Cofins são utilizados para financiar a Previdência Social e o seguro-desemprego, pagos por empresas de todos os setores.

Para empresas do lucro real, o percentual pago é de 9,25% (1,65% de PIS e 7,6% de Cofins) sob o regime não cumulativo. Já para as empresas do lucro presumido, a alíquota é de 3,65% (0,65% de PIS e 3% de Cofins) sob o regime cumulativo. Com relação às empresas do Simples Nacional, a sistemática é diferente.

Importante destacar que, até o presente momento, não houve a modulação dos efeitos da decisão, o que significa que os contribuintes lesionados podem requerer o recolhimento indevido dos últimos 5 (cinco) anos, até que se modulem os efeitos.

Para tanto, é necessário ingressar com ação judicial para reaver os valores pagos indevidamente.  

(*) Especialista em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários, Extensão nas Grandes Teses; membro da Comissão de Direito Tributário da Ordem dos Advogados de Uberlândia-MG, membro da Associação Brasileira de Direito Tributário e advogada tributária no Escritório Moreira Araújo Advocacia, em Uberaba-MG
Dúvidas:
drisdelle.adv@hotmail.com




San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018