Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Dom Paulo Mendes Peixoto - 04/03/2017

Campanha da Fraternidade

Compartilhar:

Começando a Quaresma de 2017, introduzimos, também, o tema da Campanha da Fraternidade, que neste ano fala dos biomas brasileiros, ligando a realização da vida humana com as realidades do território. A libertação do povo depende de sua sintonia com a terra, como diz a Bíblia: “Se o Senhor nos quer bem, Ele nos introduzirá nela e nos dará esta terra, onde correm leite e mel” (Nm 14,8).

“Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” é o tema da Campanha deste ano. A fundamentação bíblica, identificada no lema: “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15). Na criação, Deus aparece como sendo um oleiro, quando diz: “Então o Senhor Deus formou o ser humano com o pó do solo, soprou-lhe nas narinas o sopro da vida, e ele tornou-se um ser vivente” (Gn 2,7).

A natureza criada deve ser fonte de vida e de dar condições para que o ser vivente tenha condição de se sobreviver. Mas tudo deve contribuir para que a pessoa humana viva com dignidade, porque ela é o objetivo de toda a criação. Aí está a importância dos seis biomas do território brasileiro. Cada um deles deve oferecer o necessário para a população construir seus objetivos de vida.

A destruição dos biomas é uma transgressão à natureza. É tirar sua capacidade de preservação da vida, que depende de terra produtiva, fértil e trabalhável. Todos eles (Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal) têm sua biodiversidade prejudicada. Em determinados locais é impensável uma recuperação total, porque a exploração chegou a um grau máximo.

A dimensão econômica do poder é uma tentação. Não basta ter o necessário para uma sobrevivência com dignidade. O acúmulo mata a vida, porque impossibilita que outros sejam também felizes. Nessas condições não importa destruir, devastar, provocar deserto e matar o bioma. A força do poder não mede as consequências desastrosas para a grande massa impossibilitada de competir.

A reflexão da Quaresma nos ajuda a superar a ideologia do poder destruidor. É um caminho de conversão, porque o ser humano foi criado em íntima união com a terra. Terra que precisa ser cuidada com carinho, com respeito e responsabilidade. O trabalho feito nela tem que ser com sustentabilidade e, assim, ser preservada contra todo tipo de ação predatória, porque quem mais sofre é a pessoa humana.

Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba




San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018