JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 14 de agosto de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Troco exato é direito do Consumidor

Muitas vezes, o consumidor encontra-se na constrangedora situação de ter que reclamar pequenos trocos...

Por Cláudia Feres. Última atualização: 22/07/2016 - 07:40:51.

Muitas vezes, o consumidor encontra-se na constrangedora situação de ter que reclamar pequenos trocos, pois são comuns fornecedores que os negam, sob a alegação de não ter, naquele momento, as “moedinhas”. No entanto, o consumidor não é obrigado a aceitar tal condição. Caso o fornecedor não tenha o valor exato para o troco, ele deverá repassar ao cliente uma quantia maior, mas nunca inferior ou em objetos, como balas ou chicletes, sem a aceitação do consumidor. Assim, o troco deve ser sempre favorável ao consumidor.

Na impossibilidade de devolver a quantia devida, o fornecedor deve diminuir o preço do produto para dar o troco exato. O que não pode ocorrer, é a prática de aumentar o valor da mercadoria, pois tal configura-se prática abusiva, punida pelo Código de Defesa do Consumidor. É comum a prática de preços, por exemplo, terminados em R$0,09, só para atrair a clientela, que acaba imaginando o produto bem mais barato.

Contudo, caso não esteja o fornecedor preparado para cumprir a proposta mediante o oferecimento de troco exato aos seus clientes, deve deixar de anunciar o preço dessa forma. Troco justo é direito do consumidor e, de centavos em centavos que são negados no troco, quem sai ganhando é sempre o comerciante em prejuízo de quem compra, enriquecendo-se ilicitamente. Não permita que isso aconteça com você, consumidor! Não é vergonha reivindicar os seus direitos, mesmo que seja uma singela moeda.

Cláudia Feres
Professora Universitária
Chefe de Departamento do Contencioso da Fundação Procon Uberaba

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia