JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 22 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Descaso com o Meio Ambiente em Uberaba

No ano em que a Campanha da Fraternidade Ecumênica tem como tema “Casa Comum, nossa responsabilidade”

- Por Cecília Dulce da Silva Última atualização: 25/04/2016 - 08:38:48.

 Descaso com o Meio Ambiente em Uberaba

No ano em que a Campanha da Fraternidade Ecumênica tem como tema “Casa Comum, nossa responsabilidade” em que o homem é chamado a cuidar, cultivar, partilhar, guardar o meio ambiente e sua sustentabilidade, continuamos nos deparando com a degradação, pelo homem, do seu habitat, seja por fins econômicos, por ignorância, por puro prazer, sabendo que faça o que fizer, na maioria das vezes, não será punido, pois os órgãos que deveriam estar fiscalizando são desinteressados e incapazes. Temos a impressão de que as pessoas ali empossadas como gestores não são envolvidas com a causa e ocupam cargos por interesse político e barganhas.

Nossa cidade vive uma situação de total desmatamento. Basta sairmos porta afora para nos depararmos com troncos em estado de putrefação, buracos vazios onde ali foi morta uma árvore e com o aval da Secretaria de Meio Ambiente, que atua com total inércia.

Parece que ninguém sabe exatamente qual é sua função ali, porque, quando se necessita da atuação dos funcionários, somos encaminhados para, no mínimo, uns seis ramais para, ao final, devolverem a ligação para o primeiro, sem a mínima chance de resolver o problema. Foi por essa situação que passei quando pedi ajuda para solução de uma queimada criminosa que ocorreu em um lote próximo à Rodoviária. Parece que eles estão em meio a um tiroteio e não sabem para onde correr. Os cortes de árvores no Bairro São Benedito acontecem constantemente, como, por exemplo, no entorno da Uberserra, na avenida Barão do Rio Branco, na rua Ituiutaba, área onde funcionou as Botinas Zebu, entorno do Bretas da avenida Guilherme Ferreira, destruição das árvores da praça em frente ao Parque Fernando Costa.

Recentemente, com a ajuda da Polícia Ambiental, conseguimos salvar uma Palmeira, que serve de ninhal para araras. Ela ia ser derrubada sem a devida inspeção. Mas sabemos que se o interessado em derrubá-la procurar a Secretaria de Meio Ambiente, certamente vai conseguir a licença.
Gostaria de saber que critérios são usados na avaliação para a autorização de tantas derrubadas ou se é pura falta de critério e compromisso com a defesa do nosso maior patrimônio que é o Meio Ambiente, sem o qual não sobreviveremos. Ou será que essas autoridades se julgam tão inatingíveis diante de tanta destruição?

Cecília Dulce da Silva
Presidente da Associação Comunitária do Bairro São Benedito

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia