JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Centenário de Mário Palmério – última parte

Talvez, em sua fase mais produtiva e criativa, como se não se satisfizesse com o trabalho em educação e política, com 40 anos

- Por Décio Bragança Última atualização: 03/03/2016 - 08:28:37.

 Centenário de Mário Palmério – última parte

Talvez, em sua fase mais produtiva e criativa, como se não se satisfizesse com o trabalho em educação e política, com 40 anos, escreve e publica “Vila dos Confins”. Inquieto e ousado, escreve ainda o romance “Chapadão do Bugre”. Sua obra é tão criativa e importante para a literatura brasileira que é conduzido à Academia Brasileira de Letras, em 1969, tornando-se imortal. Suas obras são reconhecidas internacionalmente, tendo uma de suas obras adaptada para novela de televisão. NASCE NESSE MOMENTO O ESCRITOR IMORTAL.
A Universidade de Uberaba, com seus quase 70 anos, já formou mais de 82.000 jovens brasileiros, muitos dos quais, a grande maioria, não teriam outro caminho para qualificação e habilitação profissional que não na Universidade de Uberaba.

Uberaba - Senhora do Rincão!
Uberaba – Chapadão do Bugre!
Uberaba – Princesa do Sertão!
Uberaba – Vila dos Confins!
Uberaba – Rainha do Meu coração!

Um certo Mário, num dia alucinado
Sonhou um sonho nunca sonhado
Povo educado é povo inteligente,
Vencedor e cidadão, como diz o bom ditado
Amigo de Getúlio e Juscelino,
Fez inimigos com a ideia do Estado Triangulino
Viajou pelas correntes do Amazonas
Entregou obra-prima aos descendentes:
A Universidade do Sertão brasileiro,
No Brasil-Central, no Triângulo Mineiro.

Um certo Mário, visionário e escritor,
Foi deputado, embaixador,
Que fez da vida um conto musicado,
Da escola um conto aletrado
Divisor de uma cidade,
Um mito de todas as idades
Fez trânsito livre nos partidos políticos,
Imortal pela Academia Brasileira
Entregou obra-prima aos descendentes:
A universidade do sertão brasileiro,
No Brasil-Central, no Triângulo Mineiro.

Camurça, a mula prenha de ideia,
Traz Seu Valico, do Carmo e Arimateia
Camurça sabe que a alma se lava com sangue
Para aquele que se amulherengue
Piriá, de história e encantos,
Traz João Soares, Chico Belo e Paulo Santos
E na política ninguém vence sem coligação
Sabem todos que a solução é a educação
Entregou obra-prima aos descendentes:
A universidade do Sertão brasileiro,
No Brasil-Central, no Triângulo Mineiro.
Saudade é solidão
Saudade é melancolia
Saudade é sofrer
Saudade é morrer
Saudade é Viver!


Décio Bragança
Professor da Universidade de Uberaba

Leia mais