JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 14 de agosto de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

Encontros de Natal

Natal se aproximando e com ele, em grande parte das famílias, muita ansiedade...

Por Eliana Barbosa. Última atualização: 18/12/2015 - 20:17:16.

Natal se aproximando e com ele, em grande parte das famílias, muita ansiedade para os encontros...

Algumas, ansiosas pela saudade dos entes queridos, pela vontade de compartilhar suas alegrias. Todavia, para outras famílias, a ansiedade vem acompanhada de ressentimento, ou culpa, ou mesmo o constrangimento em rever desafetos.

Caso você se sinta assim, angustiado com os encontros de fim de ano e até culpado por ter ressentimento de quem, à primeira vista, você pensa que só deveria amar, deixo aqui uma linda mensagem do Papa Francisco, na qual ele mostra que a vida familiar é mesmo um lugar aonde precisamos constantemente exercitar o perdão:

“Não existe família perfeita. Não temos pais perfeitos, não somos perfeitos, não nos casamos com uma pessoa perfeita nem temos filhos perfeitos. Temos queixas uns dos outros. Decepcionamos uns aos outros. Por isso, não há casamento saudável nem família saudável sem o exercício do perdão. O perdão é vital para nossa saúde emocional e sobrevivência espiritual. Sem perdão a família se torna uma arena de conflitos e um reduto de mágoas. Sem perdão a família adoece. O perdão é a assepsia da alma, a faxina da mente e a alforria do coração. Quem não perdoa não tem paz na alma nem comunhão com Deus. A mágoa é um veneno que intoxica e mata. Guardar mágoa no coração é um gesto autodestrutivo. É autofagia. Quem não perdoa adoece física, emocional e espiritualmente. É por isso que a família precisa ser lugar de vida, e não de morte; território de cura, e não de adoecimento; palco de perdão, e não de culpa. O perdão traz alegria onde a mágoa produziu tristeza; cura onde a mágoa causou doença.”

E, finalizando, lembre-se: Perdoar é diferente de reconciliar, porque toda ofensa deve ser perdoada sim – deve ser deixada de lado e perder a importância em seus pensamentos e sentimentos –, mas quando você reconcilia com o ofensor você está dizendo que concorda, que entra em harmonia com quem ele é ou faz, o que, na maior parte das vezes, é uma atitude de falta de amor-próprio, que pode lhe trazer mais dissabores no futuro.

Portanto, perdoar é entender a natureza da pessoa que o magoou – ela ofereceu a você aquilo que ela é, aquilo que ela tem dentro de si, e isso você não pode mudar nela... Mas você pode e deve mudar em si mesmo a mania de julgar e de esperar amor de quem ainda só sabe espalhar crítica e maldade por onde passa.  

(*) coach de relacionamentos, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento, apresentadora de programas em TV e rádio e ministra palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos
Conheça melhor as suas atividades profissionais no site
www.elianabarbosa.com.br
Contato:
eliana@elianabarbosa.com.br

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia