Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Dom Paulo Mendes Peixoto - 07/11/2015

Chuva e fertilidade

Compartilhar:

Cada fase da história tem marcas bem precisas. As coisas mudam, mas a natureza continua, mesmo tomando formas diferentes, provocadas pela ação das pessoas. No passado houve momentos, ora de muita chuva, ora de muita seca. Mas nos últimos tempos a seca tem sido frequente, influenciando profundamente na fertilidade da terra, causando a desertificação.

É da terra que as pessoas tiram seu sustento. O dom da fertilidade pertence ao Criador, que fez tudo na devida ordem. No entanto, cuidamos de forma desordenada, e até desonesta, da natureza produtiva, desviando sua finalidade. Basta ver que quase não existe mais a economia familiar! Tudo vai se transformando em trabalho de monocultura e de agronegócio.

A forma como a terra tem sido usada vem causando profundas consequências para a natureza. A fauna e a flora já não são mais como no passado, e tudo está ficando diferente. Nem a chuva acontece nos tempos normais, porque a natureza tem sido agredida. No dizer do papa Francisco, estamos na iminência de “grandes catástrofes localizadas”, e já estão acontecendo.

A cultura economicista, prática usada nos últimos tempos, não tem sido generosa para com a natureza. Isto está muito claro na atuação dos setores da mineração, da atividade imobiliária e na agropecuária. O agronegócio tem seu lado positivo na economia do país, mas causa muita destruição, acabando por destruir o ser humano, a ecologia humana.

Sabemos da potencialidade da natureza, de sua capacidade impressionante de recuperação, mas isso tem que ser favorecido pela atividade do ser humano, evitando práticas agressivas contra ela. Nunca é tarde para mudar as coisas, mas tem que acontecer antes que seja tarde demais. A natureza nunca perdoa os erros cometidos contra ela e reage na proporção de seu sofrimento.

Sofremos as consequências da falta de chuva, que vem dificultando a fertilidade da terra, privando muitos trabalhadores de conseguir o necessário para sua sobrevivência. Não é impossível mudar as práticas e transformar a “casa comum” num ambiente saudável e em condição de vida digna para todas as pessoas. 

(*) Arcebispo de Uberaba




San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018