Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
ARTICULISTAS
Tamanho do texto: A A A A
Aristteles Atheniense - 10/09/2015

Moeda de troca

Compartilhar:

Em recente reunião da Comissão Mista de Orçamento (CMO), a equipe econômica do governo autorizou a liberação de R$500 milhões para o atendimento de emendas parlamentares. Segundo consta, esse valor estava para ser liberado até o fim de agosto.

Trata-se de um artifício, a mais, adotado pela presidente Dilma Rousseff para assegurar a sua estabilidade política, no momento em que tropeça nos seus próprios erros.

O Congresso Nacional, salvo algumas raras exceções, exala um odor asqueroso, decorrente da “moeda de troca” que impera na aprovação dos projetos de interesse governamental.

Numa fase crítica da economia, o anúncio dessa liberação foi feito pelo ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha (PMDB), tido e havido como braço direito do vice-presidente da República, Michel Temer.

A despeito da disputa que Dilma Rousseff vinha travando com a Fazenda Nacional, Padilha foi encarregado de anunciar aos congressistas a liberação dos R$500 milhões, com o que ficava assegurada a votação da Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO).

O ministro Joaquim Levy, escolhido para exercer a função exponencial de “salvador da pátria”, concordou com a generosidade presidencial, em troca de telefonemas quando se encontrava em Nova Iorque, forçado a admitir ser esta a forma mais eficiente de conter a ganância dos parlamentares.

Em breve, será discutido, dentro do pacote de resto a pagar, projeto de lei que importa na concessão de outros R$4,6 milhões a serem votados em Plenário. Segundo Padilha, os 250 deputados que exercem o primeiro mandato poderão desfrutar de R$4,8 milhões na satisfação de suas respectivas emendas. Para os que foram reeleitos, esse valor atingirá R$7,8 milhões.

Esse pretexto é de suma importância para o resultado das eleições municipais a que muitos parlamentares irão concorrer.

Em face desse comportamento devasso, que compromete a atuação do governo federal, a desconfiança nos seus programas tende a aumentar. Os subterfúgios utilizados nessa trampolinice escondem o vergonhoso propósito de assegurar a permanência no poder e a indiferença ao desalento de um povo sofrido. 

(*) Advogado e Conselheiro Nato da OAB; diretor do IAB e do Iamg; presidente da AMLJ
www.facebook.com/aristoteles.atheniense
Blog:
www.direitoepoder.com.br
Twitter: @aatheniense




San Marco - 16maio
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Voc concorda com a alterao do horrio de funcionamento de estabelecimentos comerciais e at mesmo da Prefeitura em decorrncia dos jogos da Seleo na Copa do Mundo?





JM FORUM
Voc acredita na briga de faces criminosas como motivao para as recorrentes mortes de detentos na penitenciria de Uberaba?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018