JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 22 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

ARTICULISTAS

A Evolução Humana - o Homo stupidus

Humano, conhecido taxonomicamente como Homo sapiens, do latim homem sábio

- Por Valdemar Hial Última atualização: 04/03/2015 - 19:39:30.

Humano, conhecido taxonomicamente como Homo sapiens, do latim "homem sábio" é também chamado de pessoa, gente ou homem. Os membros dessa espécie têm um cérebro altamente desenvolvido, com inúmeras capacidades como o raciocínio abstrato, a linguagem, a introspecção (exame que alguem faz do próprio pensamento ou sentimento) e a resolução de problemas. Esta capacidade mental, associada a um corpo ereto possibilitaram o uso dos braços para manipular objetos, fator que permitiu aos humanos a criação e a utilização de ferramentas para alterar o ambiente a sua volta mais do que qualquer outra espécie de ser vivo. Outros processos de pensamento de alto nível, como a autoconsciência, a racionalidade e a sapiência, são considerados características que definem uma "pessoa".

O "homem moderno" é definido como membro da espécie Homo sapiens, sendo a única subespécie sobrevivente o Homo sapiens sapiens. O Homo sapiens idaltu e o Homo neanderthalensis, além de outras subespécies conhecidas, foram extintas há milhares de anos. Os estudos de biologia molecular dão provas de que o tempo aproximado da divergência ancestral (diferenças adaptativas que irão gerar diferentes subespécies daquela espécie ancestral, até que finalmente, com o passar do tempo, novas espécies terão sido formadas a partir de uma única espécie) comum de todas as populações humanas modernas é de 200.000 de anos atrás.

Após analisar a evolução do homem e as suas ações, ouso dizer que uma nova espécie surgiu, e os evolucionistas  não se deram conta, trata-se do Homo stupidus, do latim “homem estúpido”. A história nos mostra vários representantes dessa espécie -                 Adolf Hitler, Josef Stalin, Benito Mussoline, Napoleão Bonaparte, Nero e tantos outros sanguinários. Aqui no Brasil, com honrosas exceções, podemos citar os políticos que só pensam em si próprios, enriquecendo-se às custas do erário e que fazem de tudo para chegar ao Poder e uma vez no Poder, fazem de tudo para não perdê-lo - mentem,  se compram, se vendem, fazem concessões de todo tipo, prometem o que não são capazes de cumprir. Vendem a própria mãe, se necessário for. São os adeptos do lema: “Em política só não vale perder”.

Para encontrarmos indivíduos da espécie, à qual me referi, basta atentarmos para as manchetes dos jornais escritos, falados ou televisados. Recentemente, aqui em Uberaba, um indivíduo matou a mãe e os seus filhos gêmeos – esse e tantos outros da mesma linhagem,  não podem ser classificados como gente ou pessoa. 

O Homo stupidus está presente em todas as atividades humanas e como, ainda, estamos numa contínua evolução, temo pelo surgimento de uma subespécie – o Homo stupidus stupidus.  

(*) Membro Titular da Academia Mineira de Medicina, doutor em Ciências e Professor Emérito da Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia