Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
 | 
BUSCA:     

 
CIDADE
Tamanho do texto: A A A A
Thassiana Macedo - 24/05/2018

Resciso indireta no impede o direito estabilidade de trabalhadora gestante

Compartilhar:

A 5ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais reformou sentença de primeira instância para reconhecer o direito de uma trabalhadora gestante a receber indenização substitutiva da estabilidade provisória, após decisão favorável de rescisão indireta de seu contrato de trabalho. O acórdão foi proferido com base no voto do desembargador Manoel Barbosa da Silva, ao acolher recurso da trabalhadora contra a sentença inicial.

Na decisão, a juíza da 1ª Vara do Trabalho de Uberaba, Sandra Carla Simamoto da Cunha, observou que a trabalhadora já sabia da gravidez em dezembro de 2016, mas ajuizou a reclamação trabalhista pedindo a rescisão indireta do contrato em março de 2017, sem se referir ao fato. O processo foi instruído em 22 de maio, com sentença proferida em 5 de junho, determinando o pagamento das verbas rescisórias.

A magistrada, porém, rejeitou a possibilidade de a estabilidade no emprego ser declarada, de modo a condenar a empregadora ao pagamento de indenização. Isso porque o pedido somente foi formulado pela trabalhadora em nova reclamação e, para a juíza, a funcionária teria agido de má-fé.

No entanto, ao analisar o recurso, o relator Manoel Barbosa da Silva discordou e reformou a decisão. No seu modo de entender, a omissão do estado de gravidez na ação anterior, cujo objeto era de rescisão indireta, por si só, não pode ser compreendido como conduta desleal da trabalhadora. Na visão do desembargador, não há impedimento legal a que seja formulada a pretensão de indenização pela estabilidade em outro processo.

Para o julgador, conforme a Súmula 244 do Tribunal Superior do Trabalho, o desconhecimento do estado gravídico pelo empregador não afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da estabilidade. Com isso, a Turma deu provimento ao recurso para excluir a condenação da trabalhadora por litigância de má-fé e para condenar a Central Diagnóstica de Uberaba e o Instituto de Patologia Clínica Dr. Jorge Furtado ao pagamento da indenização substitutiva da estabilidade provisória, abrangidos os salários, gratificação natalina, férias mais um terço e FGTS mais 40%, desde o encerramento contratual até cinco meses após o parto.



OUTRAS NOTCIAS


Relatrio diz que troca de cdula na eleio da UFTM foi detectada (20/06)
Cidade est inserida em campanha nacional de preveno a doena rara (20/06)
Com a entrega do mdulo B, Rio de Janeiro ter linha de nibus (20/06)
Transporte Pblico ter reduo de horrios durante os jogos do Brasil na Copa (20/06)
Programadas interdies por conta de obras de drenagem na avenida Interbairros (20/06)
Cia Cultural EMCANTAR realiza oficinas em Uberaba (20/06)
Superintendncia do Arquivo Pblico de Uberaba publica oito obras raras (20/06)
PMU descarta situao de risco para dengue, zika e chikungunya em Uberaba (20/06)
Abertas inscries para Mostra Artstica, Cientfica e Cultural da UFTM (20/06)
Inverno comea amanh, mas frio ainda pode demorar em Uberaba (20/06)
Servidores estaduais protestam pelo recebimento dos salrios (20/06)
Comrcio tem horrio de funcionamento alterado nesta sexta (20/06)
Professores da rede particular paralisam por melhores salrios (20/06)
Chapa vencedora diz que derrotados tentam desqualificar pleito (20/06)
Liberao do PIS/Pasep ajuda, mas algo passageiro, diz economista (20/06)
Novo Conselho do Patrimnio Histrico escolhe o presidente at o fim de junho (19/06)
Em seis meses, 4,15% dos eleitores uberabenses j baixaram o e-Ttulo (19/06)
Secretaria de Educao do Estado tira pginas oficiais e sites do ar (19/06)
Alunos do IFTM vo desenvolver software para o setor lojista (19/06)
Jogos do Brasil na Copa alteram expediente do Poder Judicirio (19/06)




San Marco - 20jun
EDIÇÃO DE HOJE
Edição de Hoje
SINTONIZE

ENQUETE
Na sua opinio, como deveriam ficar os direitos polticos de parlamentares presos?





JM FORUM
A Lei Seca completou dez anos em junho. Na sua opinio, temos o que comemorar?
Comentar


AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2018