JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de outubro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Paralisação já provoca atrasos em entregas de produtos para a cidade

Paralisação de caminhoneiros está gerando reflexos em Uberaba. Assim como em todo país, alguns setores já estão com atrasos na entrega

- Por Geórgia Santos Última atualização: 24/05/2018 - 18:04:41.

Paralisação de caminhoneiros está gerando reflexos em Uberaba. Assim como em todo país, alguns setores da cidade já estão com atrasos na entrega. A situação gera preocupação, pois entre os estabelecimentos estão as farmácias.

A paralisação dos motoristas de caminhão completou ontem três dias de movimento. Em Uberaba, a ação está acontecendo na AMG-2555 (antiga avenida Filomena Cartafina) e no Distrito Industrial 3, e ontem começou nas BRs que cortam a cidade. Contudo, independente do lugar, o movimento provoca atraso e desabastecimento de mercadorias em vários cantos do país. Em Uberaba, o Jornal da Manhã recebeu informações de que algumas farmácias da cidade estão enfrentando problemas para receber os produtos e comerciantes temem a falta deles.

João Coelho Neto é gerente de uma farmácia da cidade e, de acordo com ele, normalmente os estabelecimentos de Uberaba compram produtos de cinco distribuidoras, sendo que uma está fazendo as entregas normalmente e as outras, que são de Belo Horizonte, estão chegando com atraso. “Os pedidos que fizemos na segunda-feira e que deveriam chegar na terça, pois normalmente o prazo de entrega é de 24 horas, chegaram somente na manhã desta quarta-feira. E os pedidos que fizemos na terça, que deveriam chegar na quarta, não foram entregues, a expectativa é que venha hoje. Mas não sabemos como será”, diz.

Neto explica que a grande preocupação é que as farmácias não costumam ter grandes estoques, uma vez que os prazos de entrega são rápidos. Por isso os pedidos são feitos de um dia para outro. Assim, ele teme que nos próximos dias poderá faltar medicamentos. “Não sabemos o rumo que tomará o movimento, neste momento estamos abastecidos, e não há falta de produtos, mas pode acontecer, e é uma situação que preocupa, porque medicamentos são necessidades extremas e urgentes”, destaca Neto.

Vale lembrar também que os Correios comunicaram recentemente que as entregas estão sendo atingidas diante da paralisação. Com isto, a empresa suspendeu temporariamente postagens de encomendas com dia e hora marcados. E comunicou ainda que haverá o acréscimo de dias no prazo de entrega dos serviços Sedex e PAC, bem como das correspondências, enquanto perdurarem os efeitos desta greve.

Leia mais:

Greve de caminhoneiros ameaça serviços; transporte coletivo pode parar no fim de semana

Petrobras recua e anuncia redução de 10% no preço do diesel por 15 dias

Caminhoneiros param também em trechos das rodovias federais

MP recomenda liberação de veículos de cargas vivas interceptados

Leia mais