JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Para Ripposati, fase experimental do rotativo deveria ter sido maior

Vice-prefeito entende que a situação mais crítica passou, mas entende a necessidade de ajustes do sistema

19/06/2019 - 00:00:00. - Por Luiz Gustavo Rezende Última atualização: 19/06/2019 - 14:01:41.

Jairo Chagas


No início do serviço, muitas dúvidas foram registradas por usuários, mas algumas ainda persistem

João Gilberto Ripposati, vice-prefeito de Uberaba, afirma que o período de operação experimental na implantação do estacionamento rotativo deveria ter sido maior. Ele fez a declaração ontem, durante o programa JM News 1ª Edição, da Rádio JM 95.5 FM

Ele disse ainda que acredita que o período experimental de operação do sistema foi muito pequeno. “Desde o início eu acredito que deveríamos ter tido tempo experimental maior, foi muito pequeno o tempo”, opina, dizendo na sequência que o sistema, atualmente, está bem ajustado, precisando de pequenas adequações.

Ripposati foi questionado por uma ouvinte sobre problemas de cobrança maior que o devido no estacionamento rotativo. Ela afirma que permanece por 55 minutos na vaga que costuma utilizar, e o sistema cobra duas horas, revelando que o problema se repete há mais de um mês. Ao responder à indagação, o vice-prefeito afirmou que irá levar a demanda ao setor competente. “Eu agradeço a colocação e já adianto que vou levar ao conhecimento do setor competente”, pondera. 

O sistema de estacionamento rotativo entrou em operação em Uberaba em janeiro deste ano e, desde o início da cobrança, tem apresentado falhas, seja por problemas operacionais dos totens, que diversas vezes ficaram sem operação, seja por descumprimento do tempo de permanência sem cobrança e dificuldades no uso do aplicativo da empresa. No auge das insatisfações com o estacionamento, um totem da empresa que administra o rotativo foi alvo de vandalismo.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia