JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 19 de abril de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Todas autoescolas de Uberaba não têm índice de aprovação mínimo

Resolução do Contran prevê que as autoescolas precisam ter índice de 60% de aprovação nas provas práticas

02/02/2019 - 00:00:00. - Por Luiz Gustavo Rezende Última atualização: 02/02/2019 - 12:42:06.

Jairo Chagas

Autoescola com melhor desempenho no índice de aprovação conseguiu 29,17% e o pior 10,47%

Nenhum Centro de Formação de Condutores (CFCs) de Uberaba alcançou a taxa mínima de aprovação em exames práticos de direção para categoria B, de 60% exigida pela resolução 358/10 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), em 2018. Os dados são do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) e abrangem as 22 empresas credenciadas que atuam na cidade.

Segundo o relatório, que mede a taxa de produtividade das empresas, o CFC que registrou o maior índice de aprovação não alcançou nem a metade do exigido em lei, fechando o período de janeiro a dezembro de 2018 com 29,17% de aprovação. O segundo com maior índice teve no período 26,71% de aprovação. Entretanto, a 15ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) sediada em Uberaba, que atende cidades menores da região, registrou a maior taxa na cidade de Campo Florido, com 35,56%.

De acordo com proprietário de CFC, as cidades menores têm vantagem em relação a Uberaba, pois eles podem ministrar aulas em toda a cidade, inclusive, na área onde é aplicado o exame prático. Outro ponto levantado é que em cidades maiores, o volume de alunos que se transferem de um CFC para outro é maior e se ele é reprovado o registro entra no percentual de quem fez o certificado do aluno, ou seja, no registro anterior.

Um empresário consultado relata ainda que o CFC não pode segurar o aluno quando percebe que ele ainda não está preparado. “O aluno faz as 20 aulas obrigatórias e quer fazer o exame, a gente não pode exigir que ele faça mais aulas, mesmo percebendo que não está bom”, revela.

Outro proprietário relata que a falta de obrigatoriedade de fazer mais aulas após a reprovação também atrapalha. “O aluno não é obrigado a fazer reforço, mesmo que não esteja preparado, ele pode exigir a remarcação do exame”, ressalta.

Um instrutor afirmou que subjetividades na hora da avaliação atrapalha. “É complicado, porque um erro ou outro poderia relevar”, revela. Outro instrutor afirmou que eles fazem o máximo durante o processo de aprendizagem, mas os alunos sofrem pressão excessiva dos examinadores. 

CFCs que não atingem o percentual exigido são submetidos a cursos de reciclagem. As duas empresas que registraram as menores taxas de aprovação em Uberaba ficaram com 10,47% e 11,62.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia