JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 20 de setembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Promotor oferece denúncia por estupro contra sobrinha de 11 anos do indiciado

Titular da 5ª Promotoria Criminal, Laércio Conceição Lima ofereceu denúncia contra homem por estupro de vulnerável

- Por Thassiana Macedo Última atualização: 13/03/2018 - 23:41:34.

Titular da 5ª Promotoria Criminal do Ministério Público Estadual, o promotor Laércio Conceição Lima, ofereceu denúncia contra homem por estupro de vulnerável. Consta no inquérito policial, que o crime ocorreu em meados de 2010, no município de Uberaba. À época, a jovem tinha apenas 11 anos de idade e era sobrinha do indiciado. O caso será analisado pelo juiz da 1ª Vara Criminal, Ricardo Cavalcante Motta.

Segundo o promotor Laércio Conceição, o indiciado é tio da vítima, sendo que em virtude da relação familiar, a mãe da vítima residia em um imóvel construído aos fundos da residência do indiciado. Embora as casas estejam separadas por muro e portão, o acusado possuía fácil acesso ao domicílio da criança, de apenas 11 anos.

Conforme apurado, em agosto de 2010, aproveitando-se da ausência de outras pessoas da família, o indiciado dirigiu-se à residência da vítima e a beijou na boca à força. Ao informar a ele que contaria o ocorrido à mãe, o acusado tentou persuadi-la, por várias vezes, a não contar. Porém, em diversas ocasiões, também passou a expor seu órgão genital à criança e a pedir que ela o tocasse. Segundo o promotor, os abusos ocorriam tanto na casa da vítima, quanto na residência do indiciado.

Além dos abusos, Laércio Conceição apurou que o acusado perturbava psicologicamente a criança. Certa vez, quando a menina embarcava na van escolar, na porta de sua casa, o indiciado apareceu de cueca no portão, atitude que foi presenciada pelas demais crianças que se encontravam no transporte e pela própria mãe da vítima.

A mãe da criança informou que, na época do ocorrido, o acusado frequentava muito sua casa, pois se encontrava afastado do trabalho. Por isso, ele oferecia para ajudá-la. Diversas vezes, ele pediu para levar a criança enquanto fazia compras ou serviços bancários, e chegou a se oferecer para limpar a casa da irmã, porém no intuito furtivo de ficar próximo da criança.

Diante do caso, o promotor pediu a condenação do homem pelo crime de estupro de vulnerável, por várias vezes, cuja pena é de 8 a 15 anos de prisão, a qual ainda poderá ser aumentada pela metade em virtude do indiciado ser tio da vítima.

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia