JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 21 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Em cinco meses, houve 100% de doação de múltiplos órgãos

Levantamento demonstra que as pessoas estão doando mais. Nos primeiros cinco meses do ano, houve 100% de doação de múltiplos órgãos no Hospital de Clínicas

- Por Geórgia Santos Última atualização: 28/05/2017 - 20:16:11.


Coordenador da comissão, Ilídio Antunes de Oliveira Júnior

Índice de doação de órgãos melhora em Uberaba e a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos (CIH-DOTT) comemora os resultados. Levantamento demonstra que as pessoas estão doando mais. Nos primeiros cinco meses do ano, houve 100% de doação de múltiplos órgãos no Hospital de Clínicas.

De acordo com o coordenador da comissão, Ilídio Antunes de Oliveira Júnior, houve uma melhora expressiva. Foram realizadas duas doações de coração, mas também foram captados oito rins, dois fígados e várias doações de córneas. Em todas as mortes encefálicas que aconteceram no hospital, a família autorizou a doação. Com isso, 16 pessoas foram beneficiadas. “Isso é muito bom e espero que continue assim. As pessoas estão mais conscientes, altruístas e com mais solidariedade. Uma vez que é importante nos colocarmos na condição do outro, hoje estamos na condição de doador, mas podemos um dia precisar de uma doação”, destaca.

Contudo, é importante ressaltar que a taxa de recusa familiar continua alta, sendo 43% no país. Segundo o coordenador, esse número expressa a realidade no Brasil, porém a situação vem melhorando. Neste primeiro trimestre, o índice saiu de 14,6 doadores por um milhão para 15,8 doadores por milhão. “Realmente houve um aumento no país e que está se refletindo na região, mas espero que isso se mantenha”, reforça Ilídio.

Entre as últimas doações realizadas, o coordenador cita coração que foi captado em Uberaba e transplantado em paciente em Brasília, sendo que a última informação que ele recebeu é de que a pessoa está bem. Vale ressaltar que quando acontece uma morte encefálica é possível captar de quatro a seis órgãos, sendo dois rins, um fígado, um coração e as duas córneas.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia