JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Cuidador de idoso é a profissão que mais cresce no Brasil

A alta da profissão é de 547%; a procura por cursos subiu 84% no ano passado e pode esquentar ainda com a regulamentação pelo Congresso da atividade

26/06/2019 - 00:00:00. Última atualização: 26/06/2019 - 14:33:14.

A quantidade de cuidadores de idosos e número de interessados em cursos de formação dispararam no Brasil. A demanda ainda deve crescer mais com a regulamentação pelo Congresso da atividade.

O aquecimento deste mercado começou em 2007. Dez anos depois, em 2017, o número de profissionais saltou de 5.263 para 34.051, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. O aumento significa 547% e faz dessa profissão a que mais cresce no país atualmente.

A procura por cursos é diretamente proporcional ao crescimento. O Centro Brasileiro de Cursos (Cebrac), por exemplo, teve aumento de 84% na procura por seu curso de formação de cuidadores, em 2018, na comparação com 2017, ano em que a disciplina foi inaugurada – a escola tem unidades em diversos Estados do país.

A unidade de Uberaba do Cebrac oferta curso gratuito para cuidar de idosos (Qualificação Imediata de Cuidador de Idosos), que tem a duração de oito horas e a admissão é via sorteio; em média, são 80 alunos por mês. Além disso, o cuidado de idosos é disciplina de outro curso oferecido pelo Cebrac, que é de Atendente de Farmácia. Mais informações pelo telefone 3314-2800.

O interesse deve crescer ainda mais nos próximos anos. Primeiro por causa do envelhecimento do Brasil. Segundo o IBGE, o número de indivíduos com mais de 60 anos deve mais que dobrar até 2050, saltando de 9,5% para 21,8% da população e ultrapassando 40 milhões. Vale a menção de que o envelhecimento é uma tendência global: o grupo deve chegar a 22% da população mundial até 2050, o equivalente a 2 bilhões de pessoas.

Outro motivo que impulsiona o crescimento da profissão foi a provação no Congresso Nacional no mês passado do Projeto de Lei Complementar 11/2016, que regulamenta a profissão de cuidador de idosos, crianças e pessoas com deficiência ou doenças raras.

Valores. A maioria dos cursos profissionalizantes para interessados em se tornarem cuidadores de idosos duram entre 9 e 12 meses e têm custo de R$ 200 a R$ 400 ao mês, em média. Cuidadores de idosos recebem entre R$ 1.000 e R$ 1.400, em média, a depender do nível de qualificação e do regime de trabalho. De acordo com o Caged, o piso salarial de um cuidador é de R$ 998 para jornadas semanais de 42 horas. Já para cuidadores que pernoitam no trabalho, o pagamento mensal fica entre R$ 1.800 e R$ 4.500, segundo dados de entidades como a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

*Com informações do Valor Investe 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia