JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 18 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Veja 7 armadilhas utilizadas para aplicar golpes pelo WhatsApp

Cibercriminosos apelam para a curiosidade ou para o medo para fazer com que um link falso seja clicado e compartilhado com outros usuários

16/06/2019 - 00:00:00.

O WhatsApp pode ser uma ferramenta que facilita a comunicação entre as pessoas, porém o app também é utilizado por cibercriminosos. Confira alguns dos métodos usados para aplicar golpes e aprenda a não cair neles.

1) Promoção imperdível - Dia dos namorados, dia das mães, Natal e outras datas que exigem a troca de presentes são usadas como isca para atrair vítimas e aplicar golpes. Uma das estratégias mais comuns é o envio de promoções falsas que prometem grandes descontos. O preço muito abaixo da média pode ser o sinal de que algo está errado. Na dúvida, acesse a página da loja na internet ou os perfis oficiais nas redes sociais para confirmar a promoção.

2) É grátis - Oferecer brindes em troca de compartilhamentos também é uma estratégia comum. Neste caso, a pessoa deve preencher um cadastro, responder um questionário e enviar o link a um determinado número de pessoas para receber produtos de marcas conhecidas. Desconfie sempre que alguém enviar esse tipo de conteúdo e não espalhe para amigos e familiares.

3) Oferta de emprego - O Brasil tem 13 milhões de desempregados e por isso falsas ofertas de emprego conseguem um grande alcance pelo aplicativo de mensagem. Não clique em nenhum link ou preencha fichas cadastrais antes de verificar se a vaga realmente existe. Geralmente, o nome de uma empresa conhecida é usado para chamar a atenção de possíveis candidatos.

4) Nome sujo - Muitas pessoas têm medo de ter o nome incluído na lista de inadimplentes. Por isso, um outro golpe que circula pelo app usa um link para uma suposta consulta nesse banco de dados ou para ajudar a limpar o nome. O ideal é buscar informações diretamente nas instituições de proteção ao crédito. Além disso, a empresa tem obrigação de comunicar ao consumidor antes de tomar essa medida. Se esse documento não foi recebido anteriormente, existe a chance de ser um golpe.

5) Falso vírus - Esconder um golpe em um link de antivírus é uma estratégia simples que faz muitas vítimas. A mensagem pode avisar que o celular está infectado por um programa malicioso ou pode oferecer alguma proteção para evitar um ataque. Assim como em outros golpes, um link e enviado e ao ser clicado uma brecha de segurança é criada. Em alguns casos, o download só é possível após preencher um formulário com dados pessoais. Desconfiar de tudo o que é enviado por mensagem pode ajudar a escapar dessas situações de risco.

6) Dados cadastro - Fazer atualizações em cadastros de lojas e bancos não é algo tão raro de acontecer e por isso os golpistas usam essa desculpa para roubar dados pessoais. Novamente, um link falso é enviado por uma mensagem em nome de uma empresa conhecida e a pessoa entrega o número de documentos, o endereço e até dados de cartão de crédito sem desconfiar de que está sendo vítima de um golpista. Em geral, os dados dos clientes e correntistas não são solicitados por mensagens.

7) Caça cliques - A curiosidade pode ser um ponto fraco no mundo digital. Mensagens que prometem exibir vídeos incríveis, por exemplo, podem ser uma isca para aplicar golpes. O objetivo é levar o usuário até uma página com uma grande quantidade de anúncio ou instalar um vírus no aparelho. Não clique em links recebidos por pessoas desconhecidas e evite compartilhar esse tipo de conteúdo.
 

*Com informações G1

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia