JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de maio de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Cárie é uma questão de saúde pública

Cerca de 90% dos problemas bucais, como as cáries, podem ser resolvidos com boa escovação

Última atualização: 21/01/2018 - 14:34:53.

 

Reprodução


Cerca de 90% dos problemas bucais, como as cáries, podem ser resolvidos com boa escovação

Parece um assunto comum, mas será que as pessoas sabem lidar com as cáries? Segundo a Organização Mundial da Saúde, a cárie dentária é considerada a doença não contagiosa mais comum em todo o mundo e cerca de 60% a 90% das crianças em idade escolar sofrem desse problema, que atinge quase 100% dos adultos. Estudo realizado em 2016 pelo pesquisador Wagner Marcenes, na Universidade de Queen Mary, em Londres, aponta que mais de dois bilhões de pessoas no mundo apresentam a cárie.
De acordo com Sidnei Goldmann, graduado em Estética Bucal e especialista em implantes dentários, mais de 60% da população não tem um ou mais dentes, fator que pode acarretar inúmeros outros problemas de saúde, que vão desde dores de cabeça até de coluna. Entre os motivos da falta de cuidado estão a falta de informação, traumas de tratamentos dentários e até falta de dinheiro para esse investimento.

Segundo o especialista, o que poucos sabem é que 90% dos problemas bucais podem ser resolvidos com uma boa escovação, principalmente relativos às cáries. “Além da escovação, é preciso ficar atento a fatores que diminuem a qualidade de vida e que estão diretamente ligados a esses cuidados, como a sensibilidade dos dentes, que atinge em torno de 25% da população; o bruxismo, que envolve cerca de 40% dos brasileiros; tensão na região da boca e muito mais”, explica Goldmann.
O especialista reforça que a mudança dos hábitos alimentares ao longo dos anos também contribui para os dados alarmantes. “É preciso conscientizar a população de que a escovação e o tratamento correto de problemas bucais vão muito além da estética, principalmente quando o consumo de açúcares tem sido alto, tanto para adultos como para crianças”, finaliza.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia