JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 27 de junho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Ex-secretário Fahim Sawan é preso durante operação Aurélio

Ação conjunta da Promotoria de Defesa do Patrimônio, do Gaeco e da Polícia Militar é desdobramento de denúncia de compra superfaturada de medicamentos sem licitação

- Por Thassiana Macedo Última atualização: 15/09/2017 - 08:01:54.

Foto/Sandro Neves

Foram apreendidos R$38 mil em dinheiro, além de documentos, computadores, notebooks, celulares e outros eletrônicos

Ontem foi deflagrada em Uberaba a operação “Aurélio”, em ação conjunta da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, o Gaeco, a Polícia Militar e a Justiça. O objetivo era cumprir mandado de busca e apreensão do juiz da 1ª Vara Cível, Lúcio Eduardo de Brito, em Ação Civil Pública de Improbidade Administrativa contra Fahim Sawan e três réus, por desvio de verbas da Secretaria Municipal de Saúde nos anos de 2013 e 2014. Contudo, o ex-secretário e ex-deputado estadual e o genro dele foram presos em flagrante e conduzidos à Delegacia de Plantão.

A operação foi realizada nas residências de Fahim Miguel Sawan, Érick Luiz Goulart Rodrigues, João Lisita Neto e Rômulo Batista Cassino. A Ação Civil Pública visa à condenação dos réus por improbidade administrativa e restituição aos cofres públicos do prejuízo causado pelo desvio de montante superior a R$4 milhões.

Durante a busca, segundo o promotor do Gaeco, Paulo César Freitas, foram apreendidos dinheiro em espécie, além de documentos, computadores, notebooks, celulares e outros eletrônicos que podem servir de prova da prática do crime, bem como seis veículos. Na ocasião também foi determinado o bloqueio eletrônico de numerários dos réus e das empresas em que tenham participação societária, para garantia de futura execução judicial.

Segundo o promotor João Vicente Davina, o caso será levado às duas instâncias, à Cível, que apura a reparação do dano ao erário público, e à Criminal, em que os réus serão ouvidos.

Durante o cumprimento dos mandados, o Gaeco verificou a prática de crime de lavagem de capitais, previsto na Lei 9.613. Fahim Sawan e o genro dele, Thiago Brasil Tiveron, foram presos em flagrante delito com a apreensão de grande quantidade de dinheiro em espécie. No momento da busca, o Gaeco localizou mais de R$38 mil, em dinheiro, com o ex-secretário. Thiago também vai responder por tentativa de obstrução da Justiça, pois teria tentado dificultar os trabalhos do Gaeco.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia