JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 23 de setembro de 2018 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Travesti é executado com tiros de pistola de uso das Forças Armadas

O travesti Antônio Carlos dos Santos, 50 anos, que já foi conhecido como “Toni Gretchen” e mais recentemente como Pantera Negra, foi executado a tiros de pistola de uso restrito

- Por Carlos Paiva Última atualização: 16/01/2014 - 11:34:34.

Fotos/Jairo Chagas e Reprodução

Samu e bombeiros foram chamados, mas, quando chegaram, Toni Gretchen (detalhe) já estava sem vida

 

O travesti Antônio Carlos dos Santos, 50 anos, que já foi conhecido como “Toni Gretchen” e mais recentemente como “Pantera Negra”, foi executado a tiros de pistola de uso restrito das Forças Armadas. O crime aconteceu na madrugada de ontem na avenida Coronel Joaquim de Oliveira Prata, no bairro Bom Retiro, onde a vítima “fazia ponto”. O autor dos disparos fugiu em um carro de cor escura. Imagens de câmeras de segurança podem ajudar na investigação.

Policiais militares da 212ª Companhia do 4º BPM foram designados para atender ocorrência de disparos de arma de fogo na avenida Coronel Joaquim de Oliveira Prata. No local, uma testemunha relatou que estava em sua residência, na mesma avenida, quando ouviu alguns disparos de arma de fogo. Ao sair para ver o que acontecia, se deparou com o travesti caído debaixo da marquise do “Bar do Bueno” e notou que um veículo VW Gol ou Golf deixou o local em alta velocidade pela rua Jacutinga, sentido avenida Guilherme Ferreira.

Em seguida, segundo a testemunha, acionou o resgate do Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Com a chegada do socorro especializado, foi constatada a morte do travesti. A perícia técnica da Polícia Civil foi chamada ao local. O perito criminal Amarildo Giacometo recolheu quatro cápsulas de calibre 9mm e constatou que os disparos acertaram a cabeça e pernas da vítima.

Travestis que “fazem ponto” na região disseram aos policiais militares que a vítima fazia ponto no local há muitos anos. Também informaram que, há cerca um mês, “Pantera Negra” teria sido agredido, chegando a ficar internado. Em poder da vítima foram encontrados e apreendidos uma folha referente a processo judicial, um passaporte, R$5 em dinheiro, cigarros, preservativos, lubrificante, carteira de reservista, chaves e um documento de estrangeiro não identificado.

O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), onde passou por necropsia e foi liberado a familiares. O assassinato está sendo investigado por delegados e agentes da 4ª DPC, no centro. Imagens de segurança de casas e comércios da região podem ajudar a Polícia Civil a identificar e prender o acusado.

Notícias Relacionadas

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia