JM Online

Jornal da Manhã 46 anos

Uberaba, 19 de julho de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Advogado uberabense pode se tornar um dos delegados mais jovens do país

O certame da Polícia Federal teve 147 mil inscritos, sendo que 17 mil concorreram para o cargo de delegado

02/06/2019 - 00:00:00. - Por Luiz Gustavo Rezende Última atualização: 03/06/2019 - 13:50:42.

Foto/divulgação


Dalton Marinho inicia no dia 10 a etapa de formação para delegado da Polícia Federal e deverá ser um dos mais jovens do país

Advogado uberabense Dalton Marinho, de 26 anos, formado em Direito pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), foi aprovado no concurso para delegado federal e começará curso final de formação no próximo dia 10. O certame da Polícia Federal teve 147 mil inscritos, sendo que 17 mil concorreram para o cargo de delegado. Dalton deu entrevista para o Jornal da Manhã ontem e falou sobre a perspectiva na profissão. 

Apesar de ter nascido em Uberaba, atualmente, Dalton mora em Brasília, onde encara há um ano as etapas para se tornar um agente federal. “Primeiro teve a prova objetiva, depois a subjetiva, prova física e, por último, a prova oral”, revela, ressaltando que, além do conhecimento jurídico, é necessário bom preparo físico. A prova física exige muito, e se o candidato não tiver bom preparo, não passa”, diz. Após aprovação nas avaliações físicas, o candidato é sabatinado por juízes e delegados federais para teste do conhecimento jurídico do concorrente. “É uma sabatina de cerca de meia hora em que são abordados muitos temas jurídicos”, relembra. Após todo este processo, ficou classificado na 80ª posição.

Dalton, que atua como advogado há quase quatro anos, começa a última etapa do concurso em breve. “No próximo dia 10 inicia-se o curso de formação, que é a última etapa, onde os candidatos são treinados na academia da Polícia Federal”, expõe. Caso esteja apto após a próxima etapa, se tornará um dos delegados mais jovens da corporação, com 26 anos.

Estudioso, o uberabense foi aprovado na prova da Ordem dos Advogados do Brasil um ano antes de se formar e se dedicava no aprofundamento jurídico, visando futuros concursos, o que agora se torna realidade. Durante a entrevista ao Jornal da Manhã, ele revelou que, apesar do bom preparo, não almeja, por ora, concorrer em outro concurso para outra atuação. “Eu não penso em outro concurso, ser delegado federal é uma honra”, aponta. 

Após a realização do curso de formação, que tem duração de cinco meses, Dalton, se for aprovado, deverá ser designado para alguma área de fronteira para a qual o certame foi destinado. O advogado criou um perfil na rede social para contar sua trajetória e aceitou a entrevista, justificando que isso deve motivar outras pessoas, sobretudo crianças e jovens, a buscar a qualificação por meio dos estudos.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia