Publicidade Rdio JM
Canais Facebook Twitter RSS RSS
Play Store App Store Estúdio Ao vivo
EDIÇÕES ANTERIORES:
  | 
BUSCA:     
Você está visitando a Edição do dia 16/09/2017

 
C ENTRE NS
Tamanho do texto: A A A A
C ENTRE NS
16/09/2017
Alexandre Pereira

Compartilhar:



 Eureca
Basta alguém dos governos estadual e federal passar por Uberaba para que o prefeito, vereadores e representantes classistas do G-9 apresentem a eles as demandas do gasoduto e da planta de amônia. A última delas foi feita ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). Até a imprensa faz essas cobranças. Interpretando a fala do presidente da Codemig, Marco Antônio Castelo Branco, entende-se que o projeto da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN-V) da Petrobras é classificado como “natimorto”. Sem gás não existe fábrica e sem fábrica não existe gasoduto. Enfim, concluíram que o único ramal viável é o da TGBC, saindo de São Carlos (SP). Então ’tá!

Natimorto
Ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Carlos Assis analisa que as declarações do presidente da Codemig estão corretas, pois ele está atualizado por dever de ofício. Os outros, divorciados e desinteressados pelos projetos, vivem o ridículo de apresentar reivindicações sobre o projeto “natimorto”. E o interessante é que a história registrada nos arquivos da imprensa local não é relembrada. Os mesmos que hoje se apresentam como falsos esperançosos, no passado, sabotaram a fábrica – defendendo o falso gasoduto –, hibernada e, agora, enterrada.

Contestação
O presidente da Federação das Associações de Bairro de Uberaba (Fabu), Antônio Donizetti Ferreira, declarou que lhe causou estranheza a veiculação de denúncias em relação à entidade. Diz que já prestou as devidas informações ao Ministério Público, como solicitado, inexistindo qualquer irregularidade. Houve apenas recomendação quanto à veiculação de uma ata independente do registro. A intenção da Fabu é a mesma do trabalho focado pelo MP.

Contestação 2
Antônio Donizetti acusa o Conselho de Apoio Comunitário de tentar dar uma visão equivocada sobre a Fabu, principalmente quanto ao seu presidente, ressaltando que essa entidade foi criada para tentar desestabilizá-la. Ele acredita que existe político local a insuflando. Porém, como não vem ganhando o apoio das associações, não se sabe por qual motivo busca o MP para atingir o seu objetivo.

Trajetória
Matéria publicada ontem no jornal Hoje em Dia conta a trajetória de Ricardo Saud, de sua passagem como secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura Municipal até sua chegada ao Ministério da Agricultura, onde começaram as denúncias de irregularidades com dinheiro público. E conta que sua ascensão lembra a história do operador do Mensalão, Marcos Valério, que desfrutou da intimidade e dos contratos do poder, mas acabou na cadeia.

Antecedentes
Já a reportagem do Jornal Estado de Minas conta que Ricardo Saud esteve envolvido em denúncias de fraudes quando ocupou cargos públicos em Minas. Ele esteve na Casemg e na Secretaria de Agricultura, onde não passou despercebido. Após denúncia do diário, o então governador Itamar Franco demitiu o presidente e diretores, dentre eles Ricardo Saud. Na época, houve denúncias de que ele teria apresentado diploma falso para ocupar o cargo e feito pagamento irregular de 14º salário antecipado.

Antecedentes 2
No Ministério da Agricultura, Saud foi um dos pivôs do escândalo que derrubou o ministro Wagner Rossi, em 2011, e, mais uma vez, perdeu o cargo. Envolvido em suspeitas de corrupção, Rossi deixou o posto após o Correio Braziliense denunciar que ele e o filho, o deputado Baleia Rossi (PMDB-SP), usavam o jatinho da empresa de agronegócios Ouro Fino para viagens particulares. Saud era sócio de uma subsidiária da empresa.

Cedidos
A Prefeitura de Uberaba cedeu 11 servidores efetivos à Câmara Municipal. Para a Fundação Cultural foram emprestados oito funcionários; para a Fundação Procon, quatro, e para a Codiub, um. Novos convênios vão até 31 de dezembro de 2020. A Prefeitura ainda concedeu afastamento a três servidores para ocupar cargos comissionados ou exercer suas funções no Legislativo Municipal; para a Feti foram outros seis, e para a Cohagra, cinco; alguns deles com ônus para o município.

  Foto/Leitor


Ambientalista Cacá Sankari mostra orelhão e poste de semáforo obstruindo passarela de acessibilidade na avenida Nelson Freire

Ti-ti-ti
- Indiretamente, o presidente da Codemig respondeu aos questionamentos do ex-secretário Carlos Assis. Os equipamentos da planta de amônia de Uberaba foram vendidos. O Estado busca retomar a área da Petrobras.
- Testas de ferro de negócios que envolveriam Saud em Uberaba, inclusive no setor da construção civil, estariam perdendo o sono.
- A Prefeitura ainda cede centenas de servidores efetivos para órgãos estaduais e federais, inclusive para o Judiciário.
- Samuel Pereira (PR) protestou em plenário contra o alto preço do etanol em Uberaba, um dos maiores produtores do combustível no país.
- Uberabense Gilberto Gouveia Júnior desceu duas estações antes do atentado no metrô de Londres, na manhã de ontem.

 







AS EMPRESAS DO GRUPO JM DE COMUNICAÇÃO
JM Magazine JM Online JM JM Extra JM Rádio Vitória
Todos os direitos reservados ao Jornal da Manhã © 2019